Início Cinema Cenas de Praia do Futuro demonstram a intolerância de alguns telespectadores

Cenas de Praia do Futuro demonstram a intolerância de alguns telespectadores

Praia do Futuro, filme de Karim Ainouz e estrelado por Wagner Moura – o “eterno Capitão Nascimento” – é a prova de que muitos ainda não estão preparados para lidar com a arte e com a vida. 
Alguns espectadores parecem se sentir lesados ao ver as cenas de sexo que rolam no filme de Ainouz, tudo isso pelo fato de estarem sendo estreladas por dois homens. Notícias apontam inclusive uma ameaça ao gerente de um cinema em Aracaju, onde um grupo de rapazes o acusam de não terem sido informados das cenas de amor entre Donato (Wagner Moura) e Konrad (Clemens Schick). Esse talvez tenha sido o motivo que levou um cinema na Paraíba a pedir que seus atendentes informassem aos clientes sobre a “cena de sexo homossexual” e em seguida perguntassem se os clientes tinham certeza que queriam assisti-lo.
Que ninguém é obrigado a assistir essa cena e filme é algo que não precisa ser dito, mas infelizmente essa atitude de caráter preconceituoso imposta por essa sala de cinema passou a ser vista pelos administradores como necessária por conta da intolerância de alguns, evitando assim futuros prejuízos financeiros e físicos.
Cabe aos telespectadores se informarem antes de assistirem ao filme, pois qualquer longa que entre em cartaz no cinema vem agregado a uma série de informações que apresentam o conteúdo da produção (trailer, sinopse…). Por isso, me parece que alguns vão ao filme por causa do “tal ator” que interpretou o Capitão Nascimento, personagem que apresenta o perfil másculo e firme que a sociedade está acostumada a esperar dos homens, mas na verdade o Nascimento é apenas mais um personagem fictício também similar ao existente em nossa realidade, assim como Donato.
Produções como Praia do Futuro devem ser conferidas e por mais que Schick tenha afirmado na coletiva de imprensa da pré-estreia que o filme não é sobre ser gay, o longa traz o tema e isso é importante mesmo sendo intragável para alguns, pois coopera para que a homossexualidade fuja da espiral do silêncio no qual passou tanto tempo imersa.  
Para finalizar, o mais importante talvez seja refletir: Se as histórias de ficção projetadas nos cinemas podem render tal burburinho e chegar até a possibilidade de casos de violência o que não estará acontecendo nesse momento com os “Donatos e Konrads” da vida real?!!
- Publicidade -
Lais Rilda
Lais Rilda
Estudante de Rádio, TV e Internet e consequentemente apaixonada por audiovisual, passo a maior parte do tempo relacionando o que aprendo em sala de aula com o que vejo na vida real e na ficção.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Últimas do site



Mais lidas