Crítica: Será Que?

Da comédia ácida ao romance piegas, “Será Que?” traz um Daniel Radcliffe crescido, cujo personagem rompe as barreiras da amizade em busca do amor

Parece que foi ontem que vimos Daniel Radcliffe ser um jovem estudante em Hogwarts. Num tempo atual e não tão distante assim, revemos o ator, agora sendo um homem se aventurando em terras canadenses.
A trama de Será Que? (What If) se passa em Toronto, onde Radcliffe interpreta Wallace, que surge na tela sentado no telhado, revendo mensagens antigas da ex-namorada gravadas na caixa postal, depois que foi traído há 379 dias. Numa festa do seu amigo Allan (Adam Driver), ele acaba conhecendo Chantry (Zoe Kazan), uma encantadora artista de animação que compartilha com Wallace as suas estranhas visões sobre o mundo. As coisas começam a mudar nesta amizade que cresce a cada encontro, e Wallace quer ser mais que amigo até descobrir que Chantry tem um namorado – o chato Ben de Rafe Spall – e ter que lidar com isso.
Os diálogos de Será Que? são em maior parte fofos e despretensiosos, e parecem fluidos com a atuação de Daniel Radcliffe e Zoe Kazan, bem escolhidos para os papéis principais. Kazan surpreende ao ser a mocinha melancólica que consegue indiretamente mostrar seu lado bitch enquanto Radcliffe é engraçado e romântico e consegue expor delicadamente nos seus traços. 
Os trocadilhos funcionam bem, assim como as piadas e situações sujas que surgem no roteiro – que poderiam deixar qualquer um constrangido – na verdade, divertem. Os amigos (e amantes) se conectam cada vez mais a cada cena ao longo do filme, até o ápice da relação, quando compartilham suas loucas preferências alimentares, principalmente o gosto pelo exagerado Fools Gold Sandwich, um sanduíche de pão italiano recheado com pasta de amendoim, geleia de morango e muito bacon, uma iguaria que Elvis Presley não recusava.
O diretor canadense Michael Dowse dá um toque leve a ambientação do filme, apresentando uma Toronto maravilhosamente fotogênica, seja nos planos abertos como nos pequenos pontos em que o foco está nos personagens, numa praia ou num céu estrelado. 
Baseado na peça teatral “Toothpastes & Cigars” de T.J. Dawe e Michael Rinaldi, não é de se estranhar que Será Que? tenha ganho o prêmio de Melhor Roteiro Adaptado no 2º Canadian Screen Awards. Como já dito anteriormente, o roteiro se mostra leve e divertido e é um dos pontos fortes do filme, que inclui também personagens secundários que completam o divertido elenco – os loucos Allan e Nicole (Mackenzie Davis) e Ellie (Jemina Rooper), a estranha mãe solteira e irmã de Wallace.
Para dar o tom da personagem de Zoe Kazan, algumas animações são inseridas em meio as filmagens, as vezes de forma condizente com a situação ou de uma forma a mostrar o quão lunática é a Chantry. Será Que? é o tipo de filme clichê que caminha para o rumo que o público espera chegar, ao mesmo tempo que conquista facilmente o espectador com seu jeito leve e romântico de mostrar como uma simples amizade pode terminar num caso de amor.

Será Que? (What If, Canadá, 2014)

Avaliação do editor:
Sinopse: Wallace (Daniel Radcliffe) está sozinho há um ano, após terminar com a namorada depois de vê-la com outro homem. Em uma festa, ele conhece Chantry (Zoe Kazan). Após descobrir que ela já tem um namorado, decidem ser só amigos. Agora eles só andam juntos, a medida que Wallace nutre um sentimento por Chantry que vai além da amizade.

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui