Crítica: Foxcatcher – Uma História que Chocou o Mundo

Quando crianças sonhamos com nosso futuro e com aquilo que nos tornaremos. Crescemos e nos deparamos com obstáculos que nos levam geralmente por caminhos diferentes. Em Foxcatcher, Channing Tatum dá vida a um lutador com potencial, mas aparentemente inseguro e dependente até certo ponto do incentivo de seu irmão mais velho, o que o torna um alvo fácil para John du Pont, interpretado por Steve Carell que em sua primeira cena causa já inquietude diante de sua expressão dura e determinada, mas ainda assim enigmática. Carell se mostra o maestro do filme que vai conduzindo ao longo da trama os personagens como se fossem instrumentos de uma orquestra financiada por ele.

John du Pont (Steve Carell) cresceu em meio a riqueza grandiosa de sua família, mas sofreu pela falta de amigos durante o passar dos anos, apaixonado por luta greco-romana tem sua própria equipe de luta, a Foxcatcher, contrariando sua mãe, apaixonada por cavalos e que classifica o esporte adorado por seu filho como algo grotesco e que não condiz com o perfil da família.

Com poucas aparições, a mãe de John surge nos planos sempre pra deixar claro o quanto ele deseja a aprovação dela e acredita que para isso terá que mostrar ser capaz de tornar seus lutadores campeões. Pra isso resolve investir nos irmãos Schultz, campeões olímpicos de luta greco-romana.

O primeiro dos irmãos a aceitar e mergulhar de cabeça na equipe Foxcatcher é Mark Schultz (Channing Tatum), o caçula dos irmãos. Encantado com o discurso de John que afirma querer torná-lo novamente um campeão olímpico e símbolo de uma nação (EUA) que os dois acreditam não existir mais heróis, ele aceita a proposta. E por alguns momentos percebemos que John o vê muito além do profissional. Ele o vê como algo de sua propriedade, enquanto chama Mark de irmão e melhor amigo.

Dave Schultz (Mark Ruffalo) recusa a oferta do irmão de entrar para a equipe e sente a ausência dele que sempre cuidou e treinou ao logo dos anos. Mark se muda para a fazenda de John, onde tem seu próprio chalé e se torna praticamente o técnico do time, isso pelo menos quando não há pessoas de fora da equipe, nessas ocasiões John assume o cargo de treinador mesmo nunca tendo lutado profissionalmente.

Esses é um dos primeiros sinais da personalidade difícil de John que vai sendo mostrada ao longo do filme e aos poucos vamos vendo o quanto Mark vai se acostumando e se deixando levar pelas ordens de John que viu nessa oportunidade de mudança de vida uma forma de sair da sombra de Dave.

A recusa de Mark em estabelecer contato mesmo que por telefone com Dave, faz o irmão mais velho entrar para a equipe Foxcatcher. Depois da mudança para fazenda, Dave percebe o clima tenso entre John e Mark e percebe o quanto deve tratar cuidadosamente do irmão que se mostra perdido depois de ter sido tratado como um bichinho de estimação por John.

A história é baseado em fatos reais e dirigida por Bennett Miller que assumiu o papel de conduzir uma história de desejo pela vitória e por uma soberania que John du Pont almeja excessivamente a ponto de perder o rumo e ser o responsável por uma tragédia que abala a família Shultz. Inicialmente silenciosa e gradualmente intensa foi a forma que Miller nos apresentou Foxcatcher.

O filme por fim incomoda por uma falta de uma trilha sonora que deixa seu silêncio inicial tão profundo a ponto de ao longo do filme ela ainda ser sentida. Apesar dos confrontos diretos entre os lutadores interpretados na produção, o que sentimos mesmo é a falta de um contato direto entre Mark e John, um acerto de contas que não acontece pelo menos antes da tragédia que nos introduz ao final do filme.

*Foxcacther está indicado em 5 categorias do Oscar 2015, pra conferir a lista completa clique aqui.

Por: Lais Rilda

Foxcatcher – Uma História que Chocou o Mundo (Foxcatcher, 2015, EUA)

Avaliação do editor:

(4/4)
(4/5)

Sinopse: Campeão olímpico de luta greco-romana, Mark Schultz (Channing Tatum) sempre treinou com seu irmão mais velho, David (Mark Ruffalo), que é também uma lenda no esporte. Até que, um dia, recebe um convite para visitar o milionário John du Pont (Steve Carell) em sua mansão. Apaixonado pelo esporte, du Pont oferece a Mark que entre em sua própria equipe, a Foxcatcher, onde teria todas as condições necessárias para se aprimorar.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui