Esquecendo de “A Toca”, Netflix anuncia 3%, primeira série original brasileira

Leia também:

‘Projeto Gemini’ e ‘Morto Não Fala’ são as estreias da semana nos cinemas

As estreias desta semana nos cinemas trazem filmes para todos os gostos. "Projeto Gemini", o ousado filme do cineasta...

Cinema da UFPE é a nova opção para os cinéfilos pernambucanos

O Cinema da UFPE, nova sala de exibição no Recife, será inaugurado nesta quarta-feira (09). O evento acontece às...

Sem apoio de editais, Janela de Cinema recorre ao público para acontecer

Um dos maiores festivais de cinema de Pernambuco, o Janela Internacional de Cinema do Recife recorre neste ano ao...
Paulo Cavalcante
Paulo Cavalcantehttp://www.cafedeideias.com
Professor, atua na internet há mais de dez anos produzindo conteúdo sobre séries e cinema, aprecia a sétima arte e a dramaturgia para as diferentes telas.

Cena do piloto descartado de 3%, disponibilizado no Youtube em 2011 (Reprodução/Youtube/Série 3%)
Cena do piloto descartado de 3%, disponibilizado no Youtube em 2011 (Reprodução/Youtube/Série 3%)

Após chegar ao Brasil, o Netflix estreou em 2013 a série “A Toca”, uma espécie de “The Office” brasileira em três episódios divulgada como a primeira série nacional do serviço de streaming. Agora, o serviço de TV por internet desconsidera a produção e anuncia 3% como sua primeira série original brasileira.

Quando lançada em 2013, “A Toca” – produzida pela produtora independente Parafernalha – foi licenciada para exibição com exclusividade no Netflix. O serviço de TV por internet produzirá sua primeira série original no ano que vem, em 2016 – um sci fi científico chamado “3%”, que ficará a cargo da Boutique Filmes.

- Publicidade -

O anúncio da sua primeira produção original em terras brasileiras vem depois do buzz gerado pela contratação de José Padilha e Wagner Moura para a série internacional de origem colombiana “Narcos”, que estreia neste mês de agosto e fala sobre a trajetória do traficante Pablo Escobar.

Um projeto antigo feito para a TV aberta que ficou apenas no piloto, disponibilizado em 2011 no Youtube pelos seus produtores e com um grande burburinho e críticas positivas dos espectadores brasileiros, 3% se tornará realidade pelo Netflix, com gravações previstas para o início de 2016 e estreia programada para o final do mesmo ano. O thriller retratará o mundo dividido num lado bom e num lado ruim, e apenas 3% dos candidatos do lado ruim terão a chance de serem aprovados em diversos testes para passarem  para o lado melhor.

3% será dirigido por Cesar Charlone, indicado ao Oscar de Melhor Fotografia por “Cidade de Deus”. A produção, escrita por Pedro Aguilera e produzida pela Boutique Filmes, será filmada com a tecnologia Ultra HD 4K e já tem os atores João Miguel (da série “Felizes Para Sempre?”) e Bianca Comparato (do longa “Irmã Dulce”) confirmados no elenco.

 

- Publicidade -
- Relacionados -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

- Publicidade -

Últimos destaques:

Azougue Nazaré | Crítica

Uma terra com uma vasta variedade de culturas que culminam em diferentes religiões, o Brasil vem perdendo suas raízes...

As Panteras | Crítica

Hollywood fez mais uma vítima na sua não tão nova moda de reciclar franquias - a saudosa série As Panteras ("Charlie's Angels") ganhou uma...

Ford vs Ferrari | Crítica

A principal lição que se pode tirar do novo filme de James Mangold, é que não há nada que não fique 100% melhor com a...

Dora e a Cidade Perdida | Crítica

  A adaptação do desenho interativo Dora, a Aventureira, exibido no começo dos anos 2000 pelo canal Nickelodeon poderia ter seguido um caminho bem diferente e...

O Exterminador do Futuro: Destino Sombrio | Crítica

Apostar em mais um capítulo da franquia Exterminador do Futuro é uma atividade que tem se mostrado perigosa nos últimos anos, que o diga Emilia Clarke...
- Filmes recomendados -


More Articles Like This

- Publicidade -