VIII Janela Internacional de Cinema do Recife divulga curtas e clássicos selecionados

Festival acontece de 6 a 15 de novembro no Cinema São Luiz e no Cinema da Fundação, no Recife, com competição de curtas e mostra de clássicos que vão de Hitchcock a Tarantino

Janela-Internacional-de-Cinema-de-Recife-e1445367189842

A VIII Janela Internacional de Cinema do Recife divulgou na tarde desta terça-feira (20/10) a lista de filmes clássicos que serão exibidos nesta edição do festival, que será realizado de 6 a 15 de novembro. Anteriormente, havia sido divulgada também a lista de curta metragens que estarão na competição do evento.

Em seu oitavo ano, a Janela Internacional de Cinema traz clássicos diversificados de consagrados diretores do cinema internacional, como Hitchcock e Tarantino. Serão exibidos os longas “Um Lobisomem Americano em Londres” (1981), de John Landis; “O Grande Lebowski” (1998), dos irmãos Cohen; “Desencanto” (1945), de David Lean; “As Luzes da Cidade” (1931), de Charlie Chaplin; “Cría Cuervos” (1976), de Carlos Saura; “Jackie Brown” (1997), de Quentin Taratino; “A Pequena Loja de Horrores” (1986), de Frank Oz; “Intriga Internacional” (1959), de Alfred Hitchcock; “Os Selvagens da Noite” (1979), de Walter Hill e “Amor, Sublime Amor” (1961), de Robert Wise.

Ainda na mostra de clássicos, o Janela de Cinema irá exibir em sessão especial a animação “Fantasia” (1940), clássico da Disney dirigido por Norm Ferguson. Todas as produções serão projetadas para o público em cópias novas ou restauradas.

"Jackie Brown", de Quentin Tarantino, será um dos clássicos a serem exibidos na VIII Janela Internacional de Cinema do Recife (Divulgação/Miramax)
“Jackie Brown”, de Quentin Tarantino, será um dos clássicos a serem exibidos na VIII Janela Internacional de Cinema do Recife (Divulgação/Miramax)

Entre os curtas que serão exibidos na mostra competitiva, 44 produções de 11 países foram selecionadas entre 964 trabalhos submetidos vindos de 22 países. A competição é dividida entre Curtas Nacionais e Curtas Internacionais. Confira a lista completa:

CURTAS NACIONAIS

– A Clave dos Pregões (Pernambuco), de Pablo Nóbrega

– A Festa e os Cães (Ceará), de Leonardo Mouramateus

– A Invenção da Noite (Paraná), de Tomás von der Osten

– A Outra Margem (Mato Grosso do Sul), de Nathália Tereza

– Biquini Paraíso (Ceará), de Samuel Brasileiro

– Cidade Nova (Ceará/Distrito Federal), de Diego Hoefel

– Command Action (São Paulo), de João Paulo Miranda

– De Terça pra Quarta (Ceará), de Victor Costa Lopes

– E (São Paulo), de Alexandre Wahrhaftig, Helena Ungaretti e Miguel Antunes Ramos

– Estudo de Persistência (Paraná), de Krefer

– História de Abraim (São Paulo), de Otavio Cury

– Imóvel (Rio de Janeiro), de Isaac Pipano

– Lembranças de Mayo (Minas Gerais), de Flávio C. von Sperling

– Macapá (Maranhão), de Marcos Ponts

– MoBios (São Paulo), de Carlos Eduardo Nogueira

– No Dia em que Lembrei da Viagem a Bicuda (Rio de Janeiro), de Vitor Medeiros

– Outono Celeste (Rio Grande do Sul), de Iuri Minfroy

– Outubro Acabou (Rio de Janeiro/Portugal), de Miguel Seabra Lopes e Karen Akerman

– Quintal (Minas Gerais), de André Novais Oliveira

– Rapsódia para o Homem Negro (Minas Gerais), de Gabriel Martins

– Retrato de Carmen D. (Rio de Janeiro), de Isabel Joffily

– Submarino (São Paulo), de Rafael Aidar

– Superquadra-Sací (Pernambuco), de Cristiano Lenhardt

CURTAS INTERNACIONAIS

– A Glória de Fazer Cinema em Portugal/The Glory of Filmmaking in Portugal (Portugal), de Manoel Mozos

– A Field Guide to the Ferns (Inglaterra), de Basma Alsharif

– Caravan (Austrália), de Keiran Watson-Bonnice

– Cinema (Portugal), de Rodrigo Areias

– Coro dos Amantes/Chorus (Portugal), de Tiago Guedes

– Estratos de la Imagen/Strata of the Image (Espanha), de Lois Patiño

– Fora da Vida/On the Side (Portugal), de Filipa Reis e João Miller Guerra

– Fuligem/Soot (Portugal), de David Doutel e Vasco Sá

– Iec Long (Portugal), de João Pedro Rodrigues e João Rui Guerra da Mata

– I’m in Pittsburg and It’s Raining (EUA), de Jesse McLean

– La Fin du Dragon/The Dragon’s Demise (França), de Marina Diaby

– La Impresión de una Guerra/Impression of a War (Colômbia), de Camilo Restrepo

– Livreur/Delivery (Bélgica), de Vladilen Vierny

– Par ce Chemin Descendent les Ombres/Shadows (França), de Didier d’Abreu

– Riot (EUA), de Nathan Silver

– The Old Jewish Cemetery (Holanda), de Sergei Loznitsa

– The Shadow of Your Smile (Rússia), de Alexei Dmitriev

– The Vast Landscape (Croácia), de Lea Vidakovic

– Under the Heat Lamp an Opening (EUA), de Zachary Epcar

– Wayward Fronds (EUA), de Fern Silva

– Why? (Israel), de Nadav Lapid

A programação completa da VIII Janela Internacional de Cinema do Recife, bem como os longa metragens que serão exibidos em mostras competitiva e especial, além do evento de abertura, deverão ser divulgados nos próximos dias. O festival ocorre de 6 a 15 de novembro no Cinema São Luiz e no Cinema da Fundação em Recife, Pernambuco.

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui