Com grande público, VIII Janela Internacional de Cinema abre com clássico britânico e estreia de Boi Neon no Recife

O diretor Gabriel Mascaro e a equipe de "Boi Neon" apresentam o longa ao público do Janela de Cinema (Foto: Paulo Cavalcante)
O diretor Gabriel Mascaro e a equipe de “Boi Neon” apresentam o longa ao público do Janela de Cinema (Foto: Paulo Cavalcante)

A Rua da Aurora anoiteceu mais movimentada do que é costume nesta sexta-feira (06/11) com a abertura da 8ª edição do Janela Internacional de Cinema do Recife. O festival receberá nos próximos dias e até 15 de novembro profissionais do audiovisual, críticos, estudantes e amantes da sétima arte.

Com público modesto, o Janela teve início no Cinema São Luiz com a exibição especial do longa “Não é um filme caseiro”, de Chantal Akerman. Em seguida, a estreia da Mostra Gótico Britânico atraiu um público mais expressivo. Na ocasião foi exibido o longa “Os Inocentes” (1961), clássico britânico de Jack Clayton que trouxe uma mistura de suspense com thriller psicológico e serviu como aperitivo para outros clássicos que marcaram o gótico britânico e que serão exibidos ao longo do festival.

Por volta das 22h, uma fila gigante – que dava uma volta completa no quarteirão do Cinema São Luiz – foi formada pelo público, a espera da exibição do curta “Faz Que Vai” e do longa “Boi Neon”.

Com quase meia hora de atraso, a última sessão da noite teve início com o cinema completamente lotado. O curta “Faz que Vai”, de Bárbara Wagner e Benjamin de Búrca tomou as telas trazendo diferentes pessoas apresentando passos de danças e fazendo carão. Com uma trilha e edição de som elogiáveis, o curta recebeu as palmas da plateia. A noite se encerrou com a exibição de “Boi Neon”, segundo longa metragem do diretor pernambucano Gabriel Mascaro, que mostra a vida de Iremar, que trabalha preparando bois para vaquejadas enquanto ganancia uma vida no mundo da moda. A produção fez um carreira internacional bastante elogiada com prêmios nos festivais de Veneza e Toronto e abriu a Competição de Longas do VIII Janela Internacional de Cinema do Recife.

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui