Segundo dia do Janela Internacional de Cinema tem candidato ao Oscar e thriller carioca

Fachada do Cinema São Luiz anuncia exibição de "Mate-me por favor" e "O Grande Lebowsky" no 2º dia do VIII Janela Internacional de Cinema do Recife (Foto: Paulo Cavalcante)
Fachada do Cinema São Luiz anuncia exibição de “Mate-me por favor” e “O Grande Lebowsky” no 2º dia do VIII Janela Internacional de Cinema do Recife (Foto: Paulo Cavalcante)

O segundo dia da 8ª edição do Janela Internacional de Cinema do Recife deu continuidade a maratona de filmes iniciada na última sexta-feira (06/11) com a exibição de “Não é um filme caseiro”, “Os Inocentes” e da abertura da Mostra Competitiva de Longas com o premiado “Boi Neon”. Neste sábado (07), a programação começou logo cedo, às 11h, com a exibição do longa espanhol “Cría Cuervos” de Carlos Saura, clássico que relembra a extinta sessão “Bossa Jovem” do Cinema São Luiz.

A tarde foi a vez do Cinema São Luiz exibir na Mostra Especial o longa “As Mil e Uma Noites”, do português Miguel Gomes. Cheio de críticas a política e à desvalorização do mercado cinematográfico do país europeu, a produção mostra ainda um retrato da crise econômica e dos costumes daquele povo. Dividido em três volumes, foi exibido o primeiro, intitulado “O Inquieto”. O segundo – candidato de Portugal a uma vaga na categoria de Melhor Filme Estrangeiro no Oscar 2016 – e o terceiro volume serão exibidos ainda no Janela Internacional de Cinema, respectivamente dia 10 no Cinema da Fundação e dia 13 de novembro no Cinema do Museu. As exibições vespertinas encerraram-se com a estreia da Mostra Competitiva de Curtas Internacionais, com a temática “Territórios”.

A noite, a Mostra Especial exibiu “Mate-me por favor”, em sua exibição pela primeira vez no Recife. Na ocasião, esteve presente a diretora Anita Rocha da Silveira, que dedicou o longa a todas as diretoras brasileiras, arrancando aplausos da plateia. O thriller psicológico retrata a busca por um serial killer que vem matando mulheres num mesmo local e o desejo de uma garota em ser uma de suas vítimas. Bem atual, “Mate-me por favor” se passa na Barra, bairro carioca, e traz um retrato da realidade do jovem brasileiro que tem de lidar com o conturbado período de descobertas da adolescência num ambiente conectado virtualmente e imerso em sexo, preconceitos, funk e religião. Os irmãos Coen fecharam a noite do VIII Janela Internacional de Cinema no Cinema São Luiz na Mostra Clássicos, com a exibição de “O Grande Lebowski” (1998).

A diretora Anita Rocha da Silveira apresentou o filme "Mate-me se puder" e participou de debate com o público do Janela no Cinema São Luiz (Foto: Victor Jucá/ Flickr Janeladecinema)
A diretora Anita Rocha da Silveira apresentou o filme “Mate-me se puder” e participou de debate com o público do Janela no Cinema São Luiz (Foto: Victor Jucá/ Flickr Janeladecinema)

O sábado também foi do primeiro dia da 8ª Janela Internacional de Cinema do Recife no Cinema da Fundação e no Cinema do Museu. No Cinema da Fundação, a abertura foi com o programa “Ocupe Estelita”, que exibiu curtas de diretores que se engajaram na causa contra a urbanização do Cais José Estelita, no Recife. Foram exibidos ainda o clássico “Desencanto” (1945) de David Lean; o longa “O Evento” de Sergei Loznitsa na Mostra Especial e por fim o britânico “A Múmia” (1959) de Terence Fisher.

O Cinema do Museu em seu primeiro ano de atividade iniciou os trabalhos do Janela Internacional de Cinema do Recife com o longa “A Paixão de JL” de Carlos Nader e com a reprise de “Boi Neon”, de Gabriel Mascaro, já exibido na abertura do festival um dia antes no Cinema São Luiz. Foi levado ainda pra telona o especial de curtas “3 Filmes Safados” e o longa “O Caçador de Bruxas” (1968) de Michael Reeves na Mostra Gótico Britânico.

A 8ª edição do Janela Internacional de Cinema do Recife continua até o dia 15 de novembro de 2015 nos Cinema São Luiz, Cinema da Fundação e Cinema do Museu, no Recife.

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui