Crítica: Spotlight – Segredos Revelados

 

Spotlight – Segredos Revelados é um drama baseado em fatos reais, a história relata a investigação de uma equipe de jornalistas em busca de provas que sejam capazes de apontar casos de abuso infantil por parte de padres da igreja católica. A equipe Spotlight faz parte do jornal The Boston Globe e é formada por Matty Carroll (Brian d’Arcy James), Michael Rezendes (Mark Ruffalo), Sacha Pfeiffer (Rachel McAdams) e Walter Robinson (Michael Keaton).

Esses atores conseguem construir seus personagens com uma sincronia que fazem o spotlight se tornar um novo personagem da trama, porém em alguns momentos Ruffalo consegue se sobressaí. Em uma cena de indignação diante dos fatos apurados, Ruffalo consegue comover e causar um impacto tão grande quanto os depoimentos das vítimas.

A chegada do novo editor do jornal, Marty Baron (Liev Schreiber), agita toda a redação do The Boston Global. Já na sua primeira reunião, o silencioso editor desperta atenção para uma pequena noticia que havia saído no jornal sobre um suposto abuso feito por um padre contra uma criança. Ao questionar a equipe sobre as possibilidades de investigação para publicação de uma matéria maior, podemos perceber a influência do catolicismo em alguns membros do jornal.

Entretanto a equipe do Spotlight aceita a proposta e fica responsável por esse trabalho, a partir daí o filme segue de forma polarizada entre aqueles que desejam conseguir provas e aqueles que escolhem o silênico diante dos abusos. O longa mostra de forma lenta todo o processo de pesquisa dos jornalistas o que acaba causando um certo marasmo na primeira metade do filme.

Durante as investigações, os jornalistas do Spotlight percebem que na verdade os problemas dos abusos não aconteceram de forma isolada em Boston, mas que na verdade é um problema sistêmico, daí em diante a história se torna mais ágil, vítimas vão surgindo e dando relatos tornando a história mais verídica e, consequentemente, impactante. Nesse ponto o diretor, Tom McCarthy, acerta o tom.

O grande destaque do filme é sua trama forte e os atores de peso que bem preparados conseguem passar a veracidade e gravidade de um problema real. O filme cumpre seu papel documental e peca apenas na vagarosidade inicial.

Por: Lais Rilda

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui