- Publicidade -

Crítica: Pai em Dose Dupla

Comédia com Mark Wahlberg e Will Ferrel, "Pai em Dose Dupla" não inova mas arranca boas gargalhadas do espectador.

Pai em Dose Dupla (Divulgação/Paramount Pictures)
Pai em Dose Dupla (Divulgação/Paramount Pictures)

- PUBLICIDADE -

O grande trunfo das comédias de situação, tão comuns na tv e no cinema, partem do que os seus personagens provocam uns nos outros. Se há aquele personagem cético e pessimista, há com certeza o mais ingênuo e confiante, se tem aquele que se esforça pra ser bom em algo, tem o que possui o “talento natural”, e os conflitos se dão a partir dessa relação que grita por situações embaraçosas, absurdas, e divertidas para quem está assistindo.

Pai em Dose Dupla segue exatamente essa fórmula, sendo seus protagonistas homens que “lutam” para provar quem é o pai favorito das mesmas crianças. Enquanto Brad, vivido por Will Ferrell, é dócil e pacifico, Dusty, vivido por Mark Wahlberg é egocêntrico e cheio de lábia. O primeiro sonha em ter uma família perfeita, como não pode ter filho, adota os enteados e se esforça pra isso, mas tudo vai por água abaixo com a chegada do segundo, o pai biológico das crianças. Os arquétipos dos personagens transbordam das atuações da dupla Ferrell e Wahlberg, que inclusive repetem a parceria de Os Outros Caras (2010).

- Advertisement -

Ainda que emule toda a ideia de família moderna, Pai em Dose Dupla não escapa dos clichês do famigerado “american way of life”, onde o pai é o homem com H, que só promovendo atividades que são comumente associadas a homens é que vão conquistar os filhos.

- CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Claro que há momentos engraçados e divertidos, no entanto o filme acaba sofrendo do mesmo mal de basicamente toda essa leva: a preguiça na hora de inovar. Indo exatamente pros mesmos lugares que o expectador espera que ele vá, Pai em Dose Dupla é mais um filme daqueles que a gente já viu, mas que ainda assim é impossível não cair na gargalhada em algum momento.

- PUBLICIDADE -
Evandro Lira
Evandro Lira
Estudante de Cinema e Audiovisual, escreve para o Café de Ideias com a desculpa de falar de uma das coisas que mais gosta, o cinema.
Leia mais em:

Conteúdo relacionado:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here