- Publicidade -

Crítica: Warcraft – O primeiro encontro de dois mundos

Warcraft superou as expectativas e agradou bastante os fãs.

Poster de Warcraft (Distribuição/Universal)
Poster de Warcraft (Distribuição/Universal)

- PUBLICIDADE -

Warcraft – O primeiro encontro de dois mundos nos diz como será o filme já pelo título, um primeiro e longo encontro. Assim como em todos os primeiros encontros, várias informações são dadas mas nem sempre são bem assimiladas. A prolixidade faz o longa perder as rédeas da história em alguns pontos por colocar muitos personagens e narrativa sem saber como todos funcionarão de forma harmônica. Ainda assim, o filme consegue empolgar, divertir e ter uma boa qualidade técnica.

O filme, que é baseado no jogo de mesmo nome, conta a história de um clã de orcs liderado pelo mago Gul’dan (Daniel Wu). Gul’dan utiliza de magia negra para aumentar seu poder e o domínio dos orcs, algo que envolve até drenagem da alma humana. Como Gul’dan se alimenta dos humanos, ele organiza uma investida em Azeroth (mundo dos humanos) para trazer prisioneiros e fonte de alimentação. Enquanto isso em Azeroth, após o aspirante a guardião, Khadgar (Ben Schnetzer), encontrar vestígios de magia negra no reino, o rei Llane Wrynn (Dominic Cooper) lidera os humanos para se defenderem dos orcs e proteger seu trono. Para isso, o rei conta com a ajuda do comandante militar Anduin Lothar (Travis Fimmel) e do mago guardião do reino, Medivh (Bem Foster).

- Advertisement -

Se o breve resumo anterior é bem confuso, assim acontece com a primeira hora do filme, onde nomes, fatos e relações são bombardeadas para o expectador. Basta sentar bem na poltrona e tentar fazer um mapa mental: esse orc é bom, esse orc é ruim, e assim sucessivamente. Depois de um tempo, conseguimos nos acostumar com a quantidade de personagens e o filme dá mais um passo para frente.

- CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Outro fato que deixa o público um pouco reticente com o filme, são as falhas bobas que poderiam ter sido facilmente evitadas. Os orcs, em sua maioria, não falam a língua dos humanos e por isso utilizam Garona (Paula Patton) como a tradutora. Entretanto, é fácil notar durante o filme os orcs falando em inglês (entre si e com os humanos) e ainda assim utilizar Garona para traduzir. Qual a lógica em traduzir uma língua no qual o seu oponente também entende? Embora seja menos trabalhoso manter o inglês ao invés de criar uma nova língua para os orcs, um blockbuster tem por obrigação manter a qualidade do filme, assim como gastar tempo e recursos pensando em todos os mínimos detalhes.

Do outro lado da moeda, o filme mantém um padrão impressionante durante suas 2h e 04 minutos (por isso a decepção com as falhas pequenas). O gráfico utilizado faz bastante referência aos jogos, agradando aos fãs mais assíduos. Os efeitos são bastante eficientes e muito bem elaborados e trabalhados.  Pode ser desnecessário mencionar a fotografia num filme quase todo gráfico, pois é muito mais fácil controlar a luz computacionalmente do que manualmente. Mas ainda assim o impressionante trabalho merece aplausos. Além de todo o competente trabalho técnico, o elenco entrega uma bonita performance. Travis Fimmel desconstrói toda a imagem de herói galã, carismático e boa pinta. Ele mostra um personagem com personalidade e características próximas à nossa e por isso é tão fácil gostar dele. O Ben Schnetzer leva o título de revelação e mostra ser um ator muito promissor.

Warcraft – O primeiro encontro entre dois mundo superou as expectativas, para quem não tinha nenhuma, e agradou bastante os fãs. Algumas mudanças foram feitas na adaptação do jogo ao cinema, mas nada que possa perder a essência fascinante do encontro entre esses dois mundos. Novamente o título nos dá pistas sobre o filme e o termo ‘primeiro encontro’ prova que muitos outros acontecerão. Com certeza, Warcraft ganhará novos fãs (tanto o filme quanto o jogo) e isso só criará mais expectativa e pressão para o segundo filme manter a fidelidade, qualidade e vigor do jogo.

Por: Wilson Netto

- PUBLICIDADE -
Leia mais em:

Conteúdo relacionado:

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here