CCXP Tour: 2° dia tem Star Wars, Marvel, DC e astros das séries de TV

    Segundo dia de painéis na CCXP Tour contou com a Star Wars Celebration, artistas da DC e da Marvel e a presença dos astros de Supernatural e Chaves.

    Carlos Villagrán, o Quico do seriado “Chaves”, em painel da CCXP Tour (Divulgação/Assessoria de Imprensa CCXP Tour)

    A Comic Com Experience continua sua Tour pelo Nordeste e trouxe para o Recife um segundo dia de muita emoção e encontros épicos do público com seus artistas preferidos. Os portões da CCXP Tour abriram mais cedo, por volta das 10h40, para acomodar as pessoas que já lotavam as filas do lado de fora do Centro de Convenções na tentativa de garantir bons lugares no auditório Twitch onde viria a acontecer o painel de Star Wars, o primeiro do dia.

    Transmitido direto de Orlando, o painel era nada menos que a Star Wars Celebration, uma convenção que reúne fãs da saga e que conta com painéis como o que foi exibido ao vivo para a CCXP Tour. Na ocasião, a presidente da Lucasfilm, o diretor de “Os Últimos Jedi” e parte do elenco falaram sobre os bastidores, seus personagens e revelaram ainda um poster e o primeiro trailer do próximo longa da saga.

    Painel de "Star Wars - Os Últimos Jedi" exibido na CCXP Tour (Reprodução/Star Wars Celebration)
    Painel de “Star Wars – Os Últimos Jedi” exibido na CCXP Tour (Reprodução/Star Wars Celebration)

    O segundo painel do dia contou com os quadrinistas brasileiros da DC Comics, Ivan Reis e Eddy Barrows, bem como Paul Pope, Jock e Glenn Fabry e o editor da Panini, Levi Trindade, para falar dos seus trabalhos na editora americana, o mercado brasileiro e a adaptação das histórias para as telonas.

    Ivan Reis, que fez uma releitura do super-herói Aquaman durante a saga dos Novos 52, falou um pouco sobre o personagem. “Nem a editora se importava muito com o personagem, então houve muita liberdade para criar. Eu queria era que ele fosse aquele herói bem clássico, certinho”, contou. Sobre as adaptações, Barrow falou que as inspirações para levar os heróis às telonas são essencialmente dos quadrinhos. “Para uma boa adaptação, é preciso que o diretor conheça a essência do personagem, para que então seja feita com fidelidade e respeito à obra”, enfatizou. Jock, responsável pela HQ Arqueiro Verde Ano 1 confessou nunca ter assistido ao seriado do personagem. Já Pope contou a dificuldade que surge na hora de desenhar o homem-morcego. “O desafio na hora de fazer o Batman é conseguir algo que ainda não foi feito”, confessou.

    O terceiro painel no Auditório Twitch recebeu Richard Speight Jr., intérprete do Arcanjo Gabriel em Supernatural, série que vai ao ar no Brasil pelo Warner Channel e já foi exibido pelo SBT. O ator contou que entrou na série para interpretar seu personagem mas é tão entusiasta da produção que agora dirige alguns episódios e participar das Comic-Con pelo mundo representando a produção do canal norte-americano CW.

    Richard Speight Jr. revelou que a rotina de gravações é intensa, com roteiros de mais de 45 páginas e 12 horas de filmagens por dia nos sets. Quando perguntado sobre uma possível volta a trama, o ator respondeu que “uma porta foi deixada aberta”.

    Painel com Richard Speight Jr., o Arcanjo Gabriel de Supernatural (Divulgação/Assessoria de Imprensa CCXP Tour)

    Além da DC Comics, a Marvel também teve um painel só pra ela. Estiveram presentes no palco os quadrinistas nacionais Mike Deodato e Gustavo Duarte bem como os americanos Bill Sienkiewicz e Tom Raney.

    Sienkiewicz, que já desenhou o Demolidor e a Elektra, falou sobre a personagem de Frank Miller e sobre a adaptação da personagem para as telonas e para a TV. “Eu nunca vi o filme com Jennifer Garner, mas acho que essa personagem não tem que ter um tom adolescente, ela é muito mais que isso. Acho que a série O Demolidor faz um trabalho melhor, mas acredito que ela é não é um personagem secundário. Gostaria de vê-la em sua própria arena”, contou. O quadrinista ainda revelou gostar da série “Legion”, que vai ao ar no Brasil pelo canal FX, baseada numa HQ criada por ele em parceria com Chris Claremont.

    O paraibano Mike Deodato aproveitou para criticar os filmes dos X-Men, em tom de brincadeira. “Acho os primeiros filmes do X-Men ‘duros’, não retratam tanto quanto os quadrinhos. Posso passar horas falando deles”, disse o artista da Marvel.

    O último painel no Auditório Twitcher no segundo dia de CCXP Tour foi dedicado ao ator Carlos Villagrán, o Quico da série de humor mexicana “Chaves”. Recebido aos gritos e aplausos do público, ele agradeceu pela receptividade dos visitantes do evento. Sinto prazer em estar aqui com vocês. É como é estar no céu”, disse o ator.

    Carlos Villagrán, o Quico da série Chaves, na CCXP Tour (Divulgação/Assessoria de Imprensa CCXP Tour)

    Durante a conversa, o ator encarnou por algumas vezes o personagem Quico, e repetiu frases icônicas como “cale-se, cale-se, que você me deixa louco”, bordão do seu personagem no seriado que é exibido no Brasil pelo SBT desde 1984. Quando perguntando sobre suas preferências no universo geek, Villagrán citou The Walking Dead como uma de suas séries preferidas e ainda demonstrou no palco como seria um “Quico Zumbi”.

    CCXP Tour Nordeste vai até o domingo (16) e o Café de Ideias segue cobrindo o evento e trazendo todas as novidades. Fique ligado aqui no site e nas nossas redes sociais – Facebook, Twitter e Instagram.

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Deixe seu comentário
    Por favor, digite seu nome aqui