Mãe!, novo filme de Aronofsky com Jennifer Lawrence ganha sinopse

Sinopse dá mais detalhes sobre a trama do filme; Mãe! chega aos cinemas brasileiros uma semana após a exibição no Festival de Cinema de Toronto.

Javier Bardem e Jennifer Lawrence em cena de "Mãe!" (Reprodução/Paramount Pictures)
Javier Bardem e Jennifer Lawrence em cena de “Mãe!” (Reprodução/Paramount Pictures)

O longa Mãe!, de Darren Aronofsky (“Cisne Negro”) e estrelado por Jennifer Lawrence e Javier Barden, ganhou uma sinopse no Festival Internacional de Cinema de Toronto (TIFF), que acontece entre 7 e 17 de setembro.

O thriller que ainda conta com Ed Harris e Michelle Pfeiffer no elenco chega aos cinemas brasileiros no dia 21 de setembro de 2017.

Em entrevista a Vulture, o diretor do filme disse que as pessoas não o querem olhar após assistir o filme. “Esse filme é como um míssil jogado contra uma parede. Quero que o público esteja preparado para isso e para uma jornada muito intensa”, explica Aronofsky.

A produção já ganhou cartazes e um trailer. Confira a sinopse divulgada pelo TIFF:

Uma jovem grávida (Jennifer Lawrence) se ocupa numa casa vasta e desconhecida, tentando renová-la em submissão. Seu recente, e mais velho, marido (Javier Bardem) é um autor brilhante, aclamado em todo o mundo por sua visão de humanidade e seu domínio de linguagem. Eles se amam profundamente, então, por que seus dias são tão repletos de tensão? Por que pequenos mal-entendidos parecem se acumular? Por que esses recém-casados a ponto de dar boas-vindas à nova vida no mundo parecem separar-se mutuamente?

Darren Aronofsky inicia “Mãe!” na desconcertante tradição de Roman Polanski em sua trilogia do apartamento, formada pelos filmes “O Bebê de Rosemary”, “Repulsa ao Sexo” e “O Inquilino”. Sua câmera persegue os personagens, capturando vislumbres de seu medo ou de seu distanciamento, assim como eles tentam professar amor eterno uns pelos outros. Essa relação claramente balança na borda de uma faca. E então os convidados aparecem.

Ansiosa e vulnerável, ela só quer ficar sozinha com o marido enquanto se prepara para o bebê. Por que ele acolhe estranhos em sua casa? Como ele pode ser tão inconsciente do que ela precisa? Visto a distância, isso pode parecer um pequeno conflito doméstico, facilmente resolvido. Mas quando estamos mergulhados no coração dessa relação fraturada, o conflito assume implicações muito maiores. E aumenta. E aumenta.

Fãs de Cisne Negro e Réquiem Para Um Sonho, de Aronofsky, saberão que ele consegue produzir intensidade dramática com efeito destruidor. Mas este é um novo território, mesmo para ele. Deslumbrante, chocante e estranhamente gratificante, “Mãe!” é para o que os filmes foram feitos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui