Lari Pelo Mundo – As grandes escolhas: Como, onde, por quê?

Decidir um intercâmbio é muito fácil, sonhar com ele também, mas organizá-lo, escolher agência, destino não é tão fácil. Quer entender?! Então, vem!

LariPeloMundo

Como prometido no post anterior, cá estou para contar como tudo isso começou, como foram as minhas escolhas. Vamos embarcar!

Então, como eu disse no post anterior, eu já sonhava em fazer intercâmbio há muito tempo. Meus pais, no entanto, nunca compactuaram do mesmo sonho, acho que tem um pouco a ver com a divergência de gerações… Enfim, já havia insistido bastante e, convenhamos, chega uma hora que cansa. Nunca desisti do meu intercâmbio, mas as esperanças de ir às custas dos meus pais e com o aval deles já quase não existiam.

Até que num belo sábado de sol (mentira, não sei se tava sol mesmo), minha mãe chega em casa dizendo que, como minha prima mais nova iria, se eu achasse um programa até 5 mil, eu poderia ir. ” PARA TUDO MEU BRASEEEEEEEEEEEEEEL, VOCÊS OUVIRAM ISSO (leram, no caso) ???? Era só o que eu precisava ouvir, já que sabia os preços de vários lugares.

Corri para o PC, fui no email que tinha recebido mais cedo da Egali e já agendei minha ida à agencia hahahaha No sábado seguinte estava lá, suuuuper esperançosa respondendo ao cara que me atendeu, João Santos, que o destino que eu queria era o mais barato! xD Na verdade, eu só tinha uma “exigência” além dessa: eu não queria praia, de preferência, um lugar bem mais frio que Recife. Confesso que fui pensando no Canadá, que tinha sido o mais barato na minha pesquisa, mas chegando lá… É bem verdade também que o Euro não tava nas alturas, como agora… Mas a questão é basicamente que na Irlanda você faz tudo andando e o custo de vida é mais barato, além de não precisar de visto.

Já saí de lá com a proposta para mostrar a mainha. Essa era a parte difícil, e João ainda me propôs leva-la à Egali… Foi o que eu fiz na quarta-feira seguinte… Fomos à Egali! Minha mãe BUFAVA quando chegou e cada frase de João era uma alfinetada que ela dava mas, como num passe de mágica – e muita boa vontade de João – eu me vi assinando o contrato para o meu intercâmbio: 19.04.18! (Ué, mas não falta só 3 semanas?! Então… me deixem explicar)

Como eu falei nessa postagem aqui do Papo Seriado, eu tive depressão. Motivo que fez minha mãe me deixar fazer o intercâmbio, e o que nos fez reconsiderar que esse ano era uma escolha melhor, afinal, eu já estava quase num ano sabático…

Mas, preciso dizer, eu não aconselho ninguém a fazer o que eu fiz. Estou arrependida? De forma alguma! Só que acho que essa é uma decisão que se deve tomar com mais cautela e não foi exatamente o que aconteceu comigo. Por mais que há anos eu olhasse sobre intercâmbio, eu nunca tinha pesquisado sobre Dublin, não fui atrás de várias agências, mas agarrei a oportunidade que tava ali diante de mim. E que, ainda bem, deu tudo certo!

Depois do contrato assinado, fui começar a procurar sobre a Ilha Esmeralda e fui me apaixonando (ainda bem!), na verdade, meu sonho era tão grande que, muito provavelmente, eu me apaixonaria por qualquer lugar que fosse, mas não acho que esse seja o ideal. E as coisas não param por aí.

A medida que fui entrando nos grupos de intercâmbio, comecei a ler INÚMERAS críticas sobre a Egali e aí bateu um medo enorme. Será que eu havia feito a coisa certa?! Agir assim, no impulso, tem disso e, necessariamente, era um risco que eu teria que arcar. Não fosse suficiente, várias escolas de Dublin começaram a ser DETONADAS por brasileiros na internet que reclamavam não apenas da estrutura (falta de, no caso) mas dos professores também. Por sorte, a ISI – escola que vou, não estava no meio.

Eu tive, confesso, uma sorte IMENSA, e tenho muita consciência disso.

ISI Dublin

Em primeiro lugar, não tenho absolutamente nada a reclamar da Egali, muito pelo contrário. Só tenho elogios a fazer. Todos que me atenderam sempre foram extremamente solícitos, disponíveis e ágeis em tudo o que precisei (João e Fernanda que me atenderam aqui em Recife e meu consultor Felipe Severo, foram sempre maravilhosos!). Realmente colaboraram comigo em todos os momentos, me ensinaram a pesquisar passagem, datas, a pensar nas alterações, enfim… Sem querer querendo, foi uma excelente escolha! Então, obviamente, considerando a MINHA experiência até aqui eu recomendaria a empresa para todo mundo, mas acho que pesquisar outras agências é importante também.

Quanto à escola, eu escolhi a categoria que a Egali chama de “smart”, ou seja, é a categoria intermediária – com relação ao preço. É o melhor custo-benefício e, confesso, tenho curtido bastante tudo que vejo da ISI. Eles organizam aulas fora das salas para que os alunos aumentem a vivência, passeios, festas… Há uma busca pela integração que acho muito boa. Não vejo a hora de estar lá experimentando tudo isso!

Então, foi mais ou menos assim que meu intercâmbio “aconteceu”, na próxima semana vou falar um pouco mais de Dublin, nosso destino, para vocês se apaixonarem, assim como aconteceu comigo. Afinal, vamos embarcar nessa juntos!

Qualquer dúvida, pode deixar aí nos comentários! 😉

See you soon, 

Xoxo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui