O primeiro pint irlandês

Falar da minha primeira pint/pub e da minha primeira viagem é basicamente falar sobre amizade. É falar sobre amor e cuidado, sobre conhecer novas pessoas e se permitir gostar delas e, principalmente confiar nelas. Eu digo isso porque quando eu cheguei no hostel já fui recebida por amigos, conheci mais alguns ao conhecer meus roommates, encontrei outros pouco depois e tomei minha primeira pint, no meu primeiro Pub (The Luggage Room) entre amigos novos e antigos. And it was perfect!

Quanto a gostar da cerveja… bom… achei melhor do que no Brasil e, como boa intercambista que sou, escolhi pelo preço (olha aí seus ensinamentos, mãe!). Pedi um pint de Foster, talvez por ser uma das mais “levinhas” da Irlanda e foi bem de boa. O interessante é que quando chegamos tava tocando Anitta! Pouco depois da uma, como boas brasileiras que somos, eu e Priscilla fomos para outra “balada” e lá ficamos até que desligaram o som e todos foram embora. Não há nenhum aviso preciso, simplesmente desligam. Achei um pouco bruto, preciso confessar! Hahaha

Foto: Larissa Ramos/Arquivo Pessoal
Foto: Larissa Ramos/Arquivo Pessoal

Quando voltei para o hostel todos os meus roommmates já estavam dormindo e eu ainda não tinha arrumado a mochila para o voo na manhã do dia seguinte. Acendi a lanterna do celular e arrumei a mala no escuro. Preciso admitir que foi, no mínimo, bizarro! Quando acabei tudo já eram quase quatro e eu acordaria às 7h no dia seguinte. Preciso lembrar que já vinha de noites mal dormidas com a viagem para dublin?! Por sorte, acordei antes do despertador, troquei de roupa, e fui para a minha primeira viagem.

Da Parnell Street (onde estou) existem umas 4 formas de ir para o aeroporto, entre elas: aircoach, empresa de ônibus, ônibus normal… a mais cara é o aircoach, 6 euros que nos doem nos bolsos. E pq eu fui né?! É simples, ele é perto do hostel e o mais prático e fácil. Eu tava em Dublin há umas 12hs, cansada, sem conhecer direito a cidade… podia me dar a “esse luxo” uma vez na vida né? Além disso, eu sou muito filha da minha mãe, de modo que cheguei ao aeroporto muito antes do horário programado, conversei com a funcionária da Ryanair, tomei café da manhã tranquilamente e, só depois, fui embarcar. Por sinal, um detalhe sobre a companhia: eles só divulgam o portão pouquíssimo tempo antes de abrir então você meio que tem que ficar ligado todo o tempo. Além disso, o horário que tem no seu cartão de embarque como fechamento dos portões é, na verdade, o de abertura deles. Logo, não fiquem surtados com isso como eu fiquei, eles só são assim mesmo.

Bom, vocês sabem porque eu escolhi a Irlanda mas, principalmente, também sabem porque fui me apaixonando por esse país e por esse povo, então, quando cheguei no meu assento, sentei entre um senhor perto dos seus 50 anos e de um senhorzinho. E aí eu comecei a confirmar o que li sobre a hospitalidade dos irlandeses: eles são, de fato, EXTREMAMENTE fofinhos! Assim, passei de a pessoa mais perdida do voo a mais tagarela, afinal, fomos a viagem toda batendo papo. Entre história da Irlanda, Pernambuco, cultura, política e vida pessoal, falamos sobre tudo! Quando pousamos me despedi de Pat e ainda cheguei a ouvir ele falando para a mulher: “No, she os brazilian and came to Dublin to study english”. Segui meu caminho, como planejado, com a sensação de que essa experiência, enfim, estava acontecendo!

Foto: Larissa Ramos/Arquivo Pessoal
Foto: Larissa Ramos/Arquivo Pessoal

Desembarcando em Bruxelas, passei um bom tempo no controle de imigração, afinal, só tem preferência para passar quem tem passaporte da União Europeia, quem não tem espera BASTANTE pelos agentes. Por sinal, se tiver planejando viajar, inclua isso no seu tempo de deslocamento. Tanto para o embarque como para pegar o seu transporte do aeroporto para onde quiser.

Quando sai da parte de desembarque fui recebida por Sara, uma amazonense que mora na Suíça desde pequena, com uma placa linda me desejando boas vindas e com aquele abraço aberto e apertado que nós brasileiros temos! Foi um dos momentos mais especiais até aqui (sim, eu sei que minha chegada tem menos de 24hs)! Como a viagem a Bélgica era para conhecer o país e não (só) para bater papo, fomos começar nossa peregrinação para conhecer a cidade.

Como essa coluna já está suficientemente longa, conto sobre a Bélgica amanhã!

See you soon,
Xoxo.

Ps.: Não esqueçam! Para acompanhar em tempo real é só ficar ligado lá nos meus stories do instagram 🙂

1 COMENTÁRIO

  1. Tenho que comentar sempre porque estou amando. Parece que estamos vivendo junto com você. É uma delícia!
    Já estou ansiosa pelo próximo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here