- Publicidade -

Lari Pelo Mundo – Dublin e a Natureza… Conhecendo o Stephen Green

Nem só de pubs vive o irlandês, e hoje eu fui conhecer o Stephen Green. Além disso, para mim, Dublin é um palco de sonhos realizados...

A primeira sexta-feira em Dublin foi tão especial como deveria ser – e como todos os dias têm sido! Depois de irmos na Trinity na quarta, havíamos combinado de visitar o Stephen Green Park (um dos muitos parques de Dublin) na sexta-feira. Na verdade, o plano era ir na quinta mesmo, mas ninguém acordou…

- PUBLICIDADE -

Como Pri acabou se atrasando (o que é quase rotina) e eu ainda ia realizar meu sonho naquele dia, fui andando com Thaís que Priscilla nos encontraria lá: Na Tiffany!!!! Sim, doeu o coração mas usei meus euricos para realizar mais um sonho da lista que Dublin vem me proporcionando: comprei a minha primeira joia da Tiffany! Um colar que já não sai mais do meu pescoço e que foi, de fato, a concretização de um sonho. Não sei se pelo que ele representa, ou por ser mais um sonho realizado, mas esse sorriso que não sai do rosto tem me feito muito bem por aqui….

Saindo de lá, fomos até o Stephen Green, que é absurdamente lindo! O dia em Dublin também ajudou, já que não estava tão frio e passamos um tempo só curtindo tudo o que vem acontecendo e as belezas (que não são poucas) que Dublin vem nos oferecendo. A relação do irlandês com a natureza é extremamente bonita, e dá até uma pontinha de inveja por não valorizarmos as coisas como eles. Esse passeio, acabou permitindo algumas reflexões, afinal, não dá para parar e achar que isso é algo “normal”. É muito mais que isso!

- Advertisement -

 

- CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE -

E então, aproveitamos para conhecer o shopping Stephen Green, logo em frente ao parque! O shopping é lindo, mas não vi uma grande variedade de lojas, na verdade, foi meio “mais do mesmo”, sendo aqui em Recife, pareceria mais uma galeria. Ou um shopping bem pequeno, embora lá conte com o que chamamos de lojas âncora. Só aproveitamos para dar uma olhada na Carrols (tradicional loja de presentes) e ter noção de preços para os presentinhos!

Nesse mesmo dia, a tarde, Sara chegou, finalmente, na Irlanda!E eu a encontrei logo que minha aula acabou e fomos com uns amigos a um pub próximo. Tentamos o The Luggage Room que, infelizmente, estava fechado. Acabamos num pub que, literalmente, tinha ratos na Parnell Street mesmo! Haha Mas quem se importa, não é?

Depois disso, fui me arrumar e parti com minha fiel escudeira para o BadAss para provar o “gim tônica” que minha professora havia sugerido e, preciso dizer, é bem bom! Não fizemos muito além de cantarmos e conversarmos e, antes de ir para casa, demos um pulo no The Living Room para experimentar um mojito.

Como esse dia foi o dia que antecedia a minha primeira despedida em Dublin, já que minha roomate, Carol, iria para Amsterdam e em seguida voltaria para o Brasil… até tentamos  encontrar com ela, mas não tivemos sucesso, e acabamos indo parar num pub rocker “The Mezz”, e de lá, enfim, direto para casa!

Só pelo dia de hoje, já deu para enxergar o quanto Dublin é plural – talvez por isso eu me sinta tão em casa, já que sou da terra do carnaval multicultural. A verdade é que foram tantas tribos e vibes diferentes que vivenciamos em uma só noite que, de alguma forma, tem sido impossível não se apaixonar por isso aqui, mas por que evitar, não é?!

See you soon,

Xoxo.

 

- PUBLICIDADE -
Larissa Ramos
Larissa Ramos
Bacharela em Direito, advogada e concurseira, apaixonada por séries, filmes, livros e música. Sonha com a chance de viver como atriz e se derrete com histórias de amor. Seu grande ícone é Audrey Hepburn.

Conteúdo relacionado:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here