Início Colunas Lari Pelo Mundo - Deixando o coração no Botanic Garden

Lari Pelo Mundo – Deixando o coração no Botanic Garden

Como ainda há muito a explorar por aqui, resolvemos tirar a manhã para conhecer o jardim botânico. Quer saber como foi? Então, vem conferir!

Deixando o coração no Botanic Garden

Na quarta acordamos cedo para seguir uma sugestão que Carol tinha me dado antes de viajar: conhecer o botanic garden de Dublin! Tenho uma certa queda por jardins botânicos – não que eu conheça muitos, então achamos que era a melhor pedida.

O jardim botânico ficava a 3km do hostel e eu logo pensei em pegarmos nosso ônibuszinho de 2 andares e chegar lá em alguns muitos minutinhos. Como Priscilla é um pouco mais mao de vaca que eu, decidiu que deveríamos ir andando. ANDANDO TRÊS QUILÔMETROS!!!!!!!!! Acabei aceitando…

Botanic Gardens

Obviamente, teve suas vantagens e fomos conhecendo um pouco mais da cidade e sonhando com as varias casas que estavam para alugar/vender. Imaginávamos nós morando nessas casas, trazendo nossas mães… em dado momento, numa avenida presenciamos um atropelamento! Um ciclista, que quase nos atropela, acabou acertando uma senhorinha. Em alguns poucos segundos já havia 500 pessoas ajudando os dois!

Fiquei meio assustada, obviamente, mas, ao mesmo tempo, bem feliz com a solidariedade de todos! A medida que caminhávamos fui esquecendo o que aconteceu e tentando me concentrar no que viria. Quando chegamos no jardim botânico fiquei absurdamente encantada com aquele lugar, inclusive com o cemitério – que parece um verdadeiro jardim.

Cemitério

O jardim botânico de Dublin é, no mínimo, encantador! Parece que cada detalhe zinho aqui foi milimetricamente planejado. Não fosse suficiente, algumas das folhas estavam completamente brancas com pedrinhas de gelo. Um verdadeiro sonho! A cada passo que dávamos ficava mais impressionada com o que meus olhos captavam.

Esquilo

Quando chegamos em certo ponto do parque ouvimos um barulho vindo do mato, obviamente, imaginei uma cascavel gigantesca me matando haha quando, enfim, conseguimos identificar nossa ameaça eram esquilos lindos! E estavam ali, bem pertinho de nos, como se nos e não lês compuséssemos o mesmo espaço.

Mais à frente tínhamos o riacho e um laguinho. Nesse momento eu sabia que meu coração tinha sido dominado por aquele lugar! Sei que parece repetitivo, mas não tem como falar desse lugar sem tantos adjetivos, é absurdamente fantástico!

À noite, apesar de nossas muitas relutâncias, acabamos indo pra o Australiano mais uma vez matar as saudades do Brasil e tomar caipirinhas a dois euros. É aquele negócio né? Se tá barato, a gente tem que aproveitar (né assim, né?)… como os resultados dos jogos não favoreceram muito o meu time, desanimei logo e fomos logo “cedo” para casa.

See you soon,

Xoxo.

- Publicidade -
Larissa Ramos
Larissa Ramos
Bacharela em Direito, advogada e concurseira, apaixonada por séries, filmes, livros e música. Sonha com a chance de viver como atriz e se derrete com histórias de amor. Seu grande ícone é Audrey Hepburn.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Últimas do site



Mais lidas