Início Colunas Lari Pelo Mundo - Fazendo Walking Tour em Dublin

Lari Pelo Mundo – Fazendo Walking Tour em Dublin

Enfim, chegou o dia de fazermos o nosso walking tour por Dublin e conhecer um pouco mais dessa cidade que é uma história viva.

A ressaca ainda insistia um pouco em me incomodar, de modo que fiquei na cama até a hora da aula. Não é lá a melhor maneira de aproveitar a cidade, mas cansada como eu estava, não conseguiria aproveitar de qualquer jeito. Então, me dei ao luxo de descansar, já que havíamos combinado de fazer o Walking Tour por Dublin após a aula.

St. Patricks Cathedral

O walking tour, nada mais é do que um passeio turístico caminhando. A Egali, agência pela qual fui para Dublin, oferece o walking tour todas as terças-feiras, no entanto, como a minha primeira terça-feira aqui foi Halloween, tivemos que fazer o da semana seguinte. Então, quando saímos da aula fomos direto para a sede da Egali em Dublin que, para minha sorte, fica bem perto da ISI em que estudo.

 

Catedral da Santíssima Trindade

O guia aguardou um pouco as pessoas chegarem e, então, fomos caminhar por Dublin. A medida que íamos caminhando, ia me impressionando com o quanto que essa cidade encantadora ainda valoriza a sua história e faz dela momentos marcantes e importantes do seu futuro. Quando estudei história no colégio, lembro que uma frase me marcou, aquela que dizia que é importante estudarmos história para conhecermos o nosso passado e, a partir daí, entendemos o nosso futuro. Dublin é exatamente assim!

Dublin Castle

Começamos o passeio perto da região do temple bar e, então, seguimos passamos por algumas ruínas preservas que ficam mais abaixo do nível da rua e, por ser de noite, era impossível ver. Então seguimos pelo conselho da cidade, Catedral de St. Patricks (e Dublinia – museu viking/medieval), Catedral da Santíssima Trindade, depois Dublin Castle, Turk’s Head (bairro onde LITERALMENTE deceparam turcos e, então, resolveram expor suas cabeças como exemplo – algo meio inconfidência mineira), voltamos pela O’Conell, para o monumento, passamos pelos Correios e terminamos num bar – para minha sorte, o The Luggage Room, onde ganhamos todos meia pint.

O’Connell Monument

Conhecer todos esses lugares de Dublin só me fez ficar ainda mais apaixonada pela cidade e pela sua história. Confesso que o Guia Turístico não era lá a pessoa mais bem informada, mas deu vontade de estudar sobre cada lugarzinho daquele e, então, passar novamente para entender melhor sobre essa cidade que já roubou meu coração. Além disso, acho válido destacar, a agência tem filial em vários países, no entanto, o walking tour foi realizado somente em português, de modo que tivemos que ficar traduzindo o que dava para alguns amigos hispanofalantes que foram conosco para que não ficassem sem entender nada.

Apesar de toda a beleza da arquitetura de Dublin e do tanto que essa cidade é bonita, o que mais me tocou foi como eles mantém, até hoje, as marcas da Guerra em cada prédio e monumento atingido. O objetivo é que eles não esqueçam o quanto foi difícil conquistar a independência, a democracia e todos os direitos e, além disso, recordar aqueles tanto que morreram com esse propósito. É uma lembrança viva de tudo que aconteceu.

É impossível não ficar ansiosa para explorar tudo o que esse lugar verdadeiramente mágico tem a oferecer.

See you soon,

Xoxo.

 

- Publicidade -
Larissa Ramos
Larissa Ramos
Bacharela em Direito, advogada e concurseira, apaixonada por séries, filmes, livros e música. Sonha com a chance de viver como atriz e se derrete com histórias de amor. Seu grande ícone é Audrey Hepburn.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Últimas do site



Mais lidas