Lari Pelo Mundo – Me rendendo à quarta-feira na Dicey’s

Aqui em Dublin, ao que parece, nem uma quarta-feira de cinzas teria aquele ar melancólico. Tudo acontece tão rápido e de forma tão intensa...

Me rendendo à quarta-feira na Dicey’s

Depois da eliminação da Irlanda, confesso que acordei meio me sentindo numa quarta-feira de cinzas. Muito embora futebol não seja o esporte mais valorizado por aqui, perdendo feio para o gaélico e para o rugby, realmente torci para que a Irlanda pudesse crescer nesse esporte que eu entendo e saberia torcer.

Quando voltei para o quarto, depois do café da manhã, notei que Lana* não estava mais na parte inferior do beliche. Achei meio estranho, já que sabia que ela ficaria um mês inteiro, o que significava que estaria no quarto até o fim de semana anterior à minha volta. Comentei no grupo do whatsapp do quarto e apenas soube de uma nova discussão. Qual seria a novidade?! Como tinha tempo, decidi que faria meu almoço e logo fui para a cozinha do hostel.

Quando estava por lá, encontrei o gerente do hostel, que já havia se tornado uma pessoa extremamente querida, e acabei perguntando se ele sabia o que tinha acontecido. Qual não foi minha surpresa (ou não) ao saber que ela havia discutido, além do pessoal do quarto, com os funcionários e com o próprio?! Para não expulsá-la do hostel, ela foi convidada a ficar no quarto com apenas duas camas, no qual seria a única ocupante. Fiquei surpresa, preciso confessar, mais ainda quando soube que ela já estava indo para a terceira turma na escola de inglês.

Não consigo entender como, aqui, num lugar onde os sonhos parecem tomar forma, alguém consiga se desentender tanto e com tantos. Não é como se tivesse sido com uma pessoa ou em um lugar, mas em todos.

Depois da aula, acabamos sendo vencidos e decidimos que iríamos à Dicey’s, afinal, a quarta-feira é o melhor dia por lá, já que todas as bebidas são 1,50. Além disso, como estávamos numa turma legal, seria bem divertido. Passei no hostel só para trocar a mochila pela bolsa – afinal, lá só paga para entrar depois das 19 – e acabei esbarrando com Lana* que disse para convidá-la, quando nós tivéssemos decidido o que fazer. Concordamos e, sem dizer para onde iríamos, seguimos para Dicey’s, onde jantamos e fomos nos divertir.

Como eu já falei, a Dicey’s é, de fato, um reduto de brasileiros, mas é impressionante como parece que, de algum modo, todos os brasileiros têm uma ligação. Sempre alguém, é amigo de alguém que é seu amigo. E, assim, acabamos com um grupo de quase 20 pessoas que incluía o gerente do hostel! Durante a noite, conversamos, fizemos novos amigos e até conhecemos um mexicano que foi sozinho para lá, no seu segundo dia na cidade. Ele acabou se juntando ao grupo, e a noite acabou passando bem rápido.

Dublin é, de fato, um lugar mágico, mas a maneira que tudo pode começar não tem bem por aqui, mas sempre acabar feliz é, realmente, surpreendente.

See you soon,

Xoxo. 

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui