Início Colunas Lari Pelo Mundo - Me rendendo à quarta-feira na Dicey's

Lari Pelo Mundo – Me rendendo à quarta-feira na Dicey’s

Aqui em Dublin, ao que parece, nem uma quarta-feira de cinzas teria aquele ar melancólico. Tudo acontece tão rápido e de forma tão intensa...

Me rendendo à quarta-feira na Dicey’s

Depois da eliminação da Irlanda, confesso que acordei meio me sentindo numa quarta-feira de cinzas. Muito embora futebol não seja o esporte mais valorizado por aqui, perdendo feio para o gaélico e para o rugby, realmente torci para que a Irlanda pudesse crescer nesse esporte que eu entendo e saberia torcer.

Quando voltei para o quarto, depois do café da manhã, notei que Lana* não estava mais na parte inferior do beliche. Achei meio estranho, já que sabia que ela ficaria um mês inteiro, o que significava que estaria no quarto até o fim de semana anterior à minha volta. Comentei no grupo do whatsapp do quarto e apenas soube de uma nova discussão. Qual seria a novidade?! Como tinha tempo, decidi que faria meu almoço e logo fui para a cozinha do hostel.

Quando estava por lá, encontrei o gerente do hostel, que já havia se tornado uma pessoa extremamente querida, e acabei perguntando se ele sabia o que tinha acontecido. Qual não foi minha surpresa (ou não) ao saber que ela havia discutido, além do pessoal do quarto, com os funcionários e com o próprio?! Para não expulsá-la do hostel, ela foi convidada a ficar no quarto com apenas duas camas, no qual seria a única ocupante. Fiquei surpresa, preciso confessar, mais ainda quando soube que ela já estava indo para a terceira turma na escola de inglês.

Não consigo entender como, aqui, num lugar onde os sonhos parecem tomar forma, alguém consiga se desentender tanto e com tantos. Não é como se tivesse sido com uma pessoa ou em um lugar, mas em todos.

Depois da aula, acabamos sendo vencidos e decidimos que iríamos à Dicey’s, afinal, a quarta-feira é o melhor dia por lá, já que todas as bebidas são 1,50. Além disso, como estávamos numa turma legal, seria bem divertido. Passei no hostel só para trocar a mochila pela bolsa – afinal, lá só paga para entrar depois das 19 – e acabei esbarrando com Lana* que disse para convidá-la, quando nós tivéssemos decidido o que fazer. Concordamos e, sem dizer para onde iríamos, seguimos para Dicey’s, onde jantamos e fomos nos divertir.

Como eu já falei, a Dicey’s é, de fato, um reduto de brasileiros, mas é impressionante como parece que, de algum modo, todos os brasileiros têm uma ligação. Sempre alguém, é amigo de alguém que é seu amigo. E, assim, acabamos com um grupo de quase 20 pessoas que incluía o gerente do hostel! Durante a noite, conversamos, fizemos novos amigos e até conhecemos um mexicano que foi sozinho para lá, no seu segundo dia na cidade. Ele acabou se juntando ao grupo, e a noite acabou passando bem rápido.

Dublin é, de fato, um lugar mágico, mas a maneira que tudo pode começar não tem bem por aqui, mas sempre acabar feliz é, realmente, surpreendente.

See you soon,

Xoxo. 

- Publicidade -
Larissa Ramos
Larissa Ramos
Bacharela em Direito, advogada e concurseira, apaixonada por séries, filmes, livros e música. Sonha com a chance de viver como atriz e se derrete com histórias de amor. Seu grande ícone é Audrey Hepburn.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Últimas do site


Mais lidas