Severina (Divulgação/Vitrine Filmes)
Severina (Divulgação/Vitrine Filmes)

Dono de uma livraria com alguns escritos modernos perdidos num amontoado de publicações antigas, um livreiro melancólico se depara com uma moça que tinha de tudo para ser uma cliente fiel – ela entra no estabelecimento, procura atentamente a história desejada e vai selecionando entre os seus braços as suas escolhas – até o momento em que ela sai sem pagar. Uma vez. Duas. Várias vezes. De uma “ladra cult” a interesse amoroso, se desenvolve a trama do livreiro em Severina, segundo filme do brasileiro Felipe Hirsch.

Dividido em capítulos, a história do livreiro e da jovem ladra Ana é contada como se estivéssemos lendo um livro; a trama flui ao desenvolver dos personagens e seus sentimentos ao mesmo tempo em que o rapaz caminha entre o delírio e a realidade ao nutrir sentimentos pela sua musa. No papel principal está o ator argentino Javier Drolas, conhecido por “Medianeras” e pela série nacional “A Menina Sem Qualidades”, exibida em 2013 pela antiga MTV Brasil e realizada por Hirsch, que dirige e roteiriza Severina. Ao lado de Drolas temos a bela Carla Quevedo (“O Segredo dos Seus Olhos”), que possuem uma sintonia brilhante em cena e depositam na tela toda a química entre os dois personagens principais.

A fotografia de Rui Poças destaca a melancolia das expressões dos personagens, que se apoiam um no outro para superar a monotonia da vida, sob a ótica de uma cidade uruguaia de arquitetura clássica, enfatizando o tom melancólico com filtros escuros embalados pela trilha singela de Arthur de Faria.

Felipe Hirsch capricha na composição do roteiro de Severina, construindo o interesse do espectador sobre os desdobramentos do futuro dos personagens desde o início do filme. Nos primeiros minutos já é possível se ver preso à trama, ansioso para descobrir quem é a musa misteriosa do livreiro, que segredos ela esconde e porque o rapaz se entregou tão facilmente aos seus encantos. Descobrir quem realmente é Ana torna-se uma obsessão por parte do espectador que até passa despercebido o fato de que vemos todo o filme sem saber o nome do livreiro (o personagem de Javier Drolas é creditado apenas como “R”).

Produzido pela RT Features, produtora do brasileiro Rodrigo Teixeira que vem dando um novo respiro ao cinema com produções elogiadas como A Bruxa (“The VVitch”) e Me Chame Pelo Seu Nome (“Call Me By Your Name”), Severina chega como uma grande homenagem a literatura e suas musas literárias, que inspiram autores através de suas curiosas histórias a criarem grandes e memoráveis personagens. Talvez você se pergunte durante todo filme o porque de se chamar “Severina” – vai valer a pena ficar até o final da sessão para descobrir.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here