Verdade ou Desafio (Divulgação/Universal Pictures)
Verdade ou Desafio (Divulgação/Universal Pictures)

A produtora americana Blumhouse, comandada por Jason Blum, vem lançando nos últimos anos uma leva de filmes de suspense e terror que conquistaram o público que há muito não via serem lançadas produções cinematográficas de gênero que o agradasse, a exemplo de “Uma Noite de Crime”, “A Morte te dá Parabéns”, “Fragmentado” e o mais recente e indicado ao Oscar “Corra!”. A nova aposta da produtora, Verdade ou Desafio, faz uso de uma brincadeira como pano de fundo para uma trama de terror – mas será que a produção é tão boa quanto as suas irmãs?

No filme, Olivia e seu grupo de amigos de férias saem de férias no México e são convencidos pelo estranho e misterioso Carter a brincar de “Verdade ou Desafio” em um prédio em ruínas. Ao aceitarem a proposta e darem início ao jogo, Carter automaticamente passa a maldição para os recém-conhecidos, embora ele os alertem sobre os riscos e regras do jogo. O grupo não leva o rapaz a sério, até o momento que uma presença demoníaca comece a assombrar os participantes que se veem aprisionados a um jogo que se torna perverso, perigoso e cheio de chantagens, com um único destino para quem não executar as ordens – a morte.

O longa é estrelado por Lucy Hale da série “Pretty Little Liars”, Tyler Posey de “Teen Wolf” e Violett Beane de “The Flash”. Os astros da TV se encontram no filme como o time de protagonistas que, como em todo terror clichê, seguem até o final da trama. Embora as atuações sejam engessadas, o trio até que tem química e faz o espectador ficar na dúvida na hora de escolher com qual das amigas o rapaz deve ficar (antes que a resposta surja na telona).

E por falar em terror clichê, Verdade ou Desafio se encaixa muito bem nisso que poderíamos classificar de sub-gênero. O longa dirigido e escrito por Jeff Wadlow não só usa de mecanismos de filmes consagrados do terror como resolve os seus mistérios com soluções fáceis ou não-plausíveis. Como exemplo, fica claro que a trama bebe da fonte de “Corrente do Mal”, ao revelar que a maldição pode ser passada de um grupo para outro para que a vez na jogada demore mais a chegar num indivíduo – a diferença é que no aclamado longa de David Robert Mitchell a ideia é usada com originalidade.

Os fãs de terror com certeza irão se incomodar com a forma como Verdade ou Desafio se desenvolve, com sua trama completamente previsível. A verdade é que por mais que soe ridículo, o filme é divertido e prende o espectador que ficará aguardando, entre uma morte e outra ao melhor estilo “Pânico”, pelo desfecho. Mas para isso, e talvez esse seja o grande desafio, é necessário que não você não leve este filme tanto a sério.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here