Presidente da Cinépolis, Luiz Gonzaga Assis de Luca fala sobre cinema no Patteo Olinda

Em entrevista ao Café de Ideias, presidente da maior operadora de cinema da América Latina fala sobre a chegada do primeiro cinema de Olinda em mais de 30 anos.

Luiz Gonzaga Assis de Luca, presidente da rede Cinépolis (Foto: Reprodução)
Luiz Gonzaga Assis de Luca, presidente da rede Cinépolis (Foto: Reprodução)

38 anos é o tempo que a cidade de Olinda, referência turística de Pernambuco, ficou sem um cinema para chamar de seu. Depois do fechamento do Cine Duarte Coelho, Cine Olinda e Cine Bajado, a cidade não tinha salas de projeção em funcionamento com os principais lançamentos do cinema nacional e internacional para a sua população. A história ganha uma nova página com a chegada da rede Cinépolis, que inaugurou na última quinta-feira, 5 de julho, seis novas salas no Shopping Patteo Olinda.

Com “Os Incríveis 2”, “Homem-Formiga e a Vespa”, Jurassic World – Reino Ameaçado” e “Sexy por Acidente”, o Cinépolis Patteo Olinda chegou como uma opção aos moradores da cidade que antes tinham que se deslocar para as salas na cidade vizinha, Recife, para conferir os filmes em cartaz; a previsão é que duas novas salas no modelo VIP cheguem ao Shopping Patteo Olinda no dia 18 de julho e para as salas que já foram inauguradas, promoções estão em vigor para receber os cinéfilos Olindenses.

Para ficarmos por dentro do empreendimento, o Presidente da Rede Cinépolis no Brasil, Luiz Gonzaga Assis de Luca, concedeu uma entrevista ao Café de Ideias onde falou sobre a chegada do cinema a Olinda, discutiu os avanços da tecnologia nas telonas, comentou sobre a concorrência gerada pelos serviços de streaming e explanou sobre o que podemos esperar da Rede Cinépolis, no futuro.

Confira a íntegra da entrevista com Luiz Gonzaga Assis de Luca:

Com 52 cinemas espalhados pelos país que amontam em 386 salas, o que significa para a rede Cinépolis inaugurar o primeiro complexo da cidade de Olinda?

Olinda é declarada Patrimônio Histórico e Cultural da Humanidade pela UNESCO e faz todo o sentido estarmos nessa cidade que respira cultura e não só produz como consome cinema.

A Cinépolis foi pioneira no mercado mundial com a criação do conceito de salas VIP ainda em 1998, permanecendo como a maior operadora desse gênero no país, e agora o complexo de Olinda terá 2 salas nesse modelo. O público brasileiro abraçou esse conceito de serviço diferenciado desde o primeiro momento?

Sim, o público brasileiro abraçou esse conceito. A implantação das salas VIP no Brasil tem sido muito positiva e atualmente operamos salas neste formato em dezessete cidades em todo o País e agora dezoito com Olinda, sendo que no mundo, somos a maior operadora de salas do formato VIP. É parte integrante da estratégia da empresa estar em constante inovação e desenvolver novos conceitos. O nosso maior sucesso é colocar a experiência do cliente no centro das nossas preocupações e atualmente vemos a necessidade de se ter formatos diferenciados dentro de um cinema, com atrativos que criem uma experiência completa, proporcionem maior conforto e melhores serviços. A sala VIP foi criada pela Cinépolis em 1998, e é um conceito que faz parte da cultura da empresa.

Nos últimos anos os cinemas têm enfrentado forte concorrência dos serviços domésticos de streaming. Como a Cinépolis tem encarado esse desafio e qual a sua opinião sobre essa tendência?

Segundo estudo publicado pela Agência Nacional do Cinema (ANCINE), o número de pessoas nas salas de exibição em 2016 foi de 184,3 milhões e no ano passado foi de 181,2 milhões, com diminuição de apenas 1,7%, mesmo com a crise econômico e com a concorrência do streaming. A indústria do cinema é extremamente relevante para a economia mundial e também é um dos setores mais importantes na indústria do entretenimento, exercendo papel central na economia cultural do Brasil e do mundo. A Cinépolis que está no Brasil há apenas 08 anos, trouxe diversas inovações para o mercado exibidor brasileiro, como a expansão do formato VIP no país, a primeira sala 4DX do Brasil. Esse ano, também inauguramos a primeira Sala Junior da América do Sul, com um tobogã com mais de 15 metros de extensão, piscina de bolinhas, área de jogos, carrinho de doces móvel, que são servidos dentro da sala e poltronas divertidas. Essas inovações mostram que o mercado de exibição está em forte expansão e tender a crescer cada vez mais.

Há décadas a Cinépolis traz para o mercado o que há de melhor em termos de tecnologia e conforto, garantindo uma ótima experiência aos amantes do cinema. O que podemos esperar da rede no futuro?

Para o futuro a Cinépolis espera fazer mais investimentos para ter ainda mais excelência e qualidade em seus serviços e atendimento. Além disso, pretendemos continuar com nosso processo de expansão da rede e também das Salas VIP e Junior. Iremos também trazer grandes inovações em nossas bombonières, com cardápios cada vez mais adaptados às regiões onde os cinemas se encontram, além de implementar cada vez mais produtos exclusivos e de qualidade criados pela rede. No Brasil, pretendemos expandir a operação do sorvete Spyral que, atualmente, está em oito cinemas.

Reportagem: Paulo Cavalcante
Entrevista: Evie Diane (por email)

Agradecimentos a assessoria de imprensa da Rede Cinépolis.

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui