XI Janela Internacional de Cinema do Recife começa hoje; confira a programação

Festival marca presença no Recife em sua 11ª edição, reduzida, mas com o mesmo prestígio dos anos anteriores e uma programação de grandes títulos.

XI Janela Internacional de Cinema do Recife (Foto: Victor Jucá/Janela de Cinema)
XI Janela Internacional de Cinema do Recife (Foto: Victor Jucá/Janela de Cinema)

O XI Janela Internacional de Cinema do Recife começa nesta quarta-feira (07) e vai até o domingo (11) com uma programação de filmes que vão desde mostras especiais a competitivas e exibição de grandes clássicos do cinema.

Devido a readequação orçamentária, neste ano o festival terá duração menor que nos anos anteriores, mas mantém o comprometimento de destacar os filmes que estiveram em alta no circuito de festivais e revelar apostas selecionadas pela curadoria.

A sessão de abertura acontece nesta quarta (07) às 21h no Cinema São Luiz com o curta “Quantos Eram Pra Tá?”, de Vinicius Silva, em sua pemière mundial. O filme revela o cotidiano de três jovens negros estudantes da USP. Em seguida está programada a exibição do longa-metragem brasileiro “Temporada”, de André Novais Oliveira, premiado melhor filme do 51º Festival de Brasília.

Antes mesmo da abertura oficial, o festival de cinema já teve início no Cinema São Luiz desde 15h15 com o Programa Brasil Distópico Vol. 1 exibindo “Abrigo Nuclear”, filme brasileiro de ficção científica de 1981, produzido e dirigido na Bahia por Roberto Pires. Às 17h foi a vez do Programa Especial de Curtas “Estamos Todos Juntos”, que segue com a sessão do longa-metragem russo “O Homem Que Surpreendeu Todo Mundo” (“The Man Who Surprised Everyone”), de Natalya Merkulova e Aleksey Chupov, em competição.

No Cinema da Fundação (Derby), a programação teve início desde as 16h, com o programa da Mostra Competitiva de Curtas Internacionais “Feche os Olhos. Abra os Olhos”. Às 18h15, será exibido o longa chinês “Longa Jornada Noite Adentro” de Bi Gan, com exibição em 3D. O filme fez parte da seleção Un Certain Regard, do Festival de Cannes 2018.

A programação do XI Janela Internacional de Cinema do Recife se divide entre o Cinema São Luiz (Boa Vista), Cinema da Fundação (Derby) e Cinema do Museu (Casa Forte).

Os ingressos no Cinema São Luiz custam 6 reais (inteira) e 3 reais (meia) na bilheteria, ou o mesmo valor mais acréscimo de 2 reais de taxa por ingresso caso seja adquirido através do site Sympla. Já nos cinemas da Fundação e do Museu, os ingressos custam 10 reais (inteira) e 5 reais (meia). As sessões de curta-metragens nos três cinemas estarão com preço de meia entrada para todos.

Confira abaixo a programação completa.

Programação – XI Janela Internacional de Cinema do Recife

7/11 CINEMA SÃO LUIZ

15h15
PROGRAMA BRASIL DISTÓPICO VOL. 1
Abrigo Nuclear (1981 | 86′ | Brasil | DCP)
Direção: Roberto Pires
Num futuro não muito distante, ficou proibido o acesso a qualquer informação sobre o passado. Para fugir da poluição radioativa, os indivíduos tiveram de deixar a superfície e passaram a viver em um abrigo nuclear subterrâneo, controlado pela intransigente comandante Avo. Nesta ecodistopia baiana, realizada na era atômica e exibida em cópia restaurada, um grupo se revolta e resolve se insurgir.

17h
PROGRAMA ESPECIAL CURTAS: ESTAMOS TODOS JUNTOS, 65′

Uplândia / Uppland (2018 | 30′ | Reino Unido/Irlanda | DCP)
Direção: Edward Lawrenson e Killian Doherty
Um arquiteto e um diretor de cinema europeus visitam uma vila nos planaltos da Libéria, antes uma próspera comunidade mineradora, agora deserta, ruína concreta na selva do oeste africano. Entre as construções, uma história da promessa de prosperidade e injustiças escondidas, sobras do colonialismo.

Democracia Aqui Não / No Democracy Here (2018 | 25′ | Alemanha/Palestina/Israel | DCP | Premiere Brasileira – Competição de Curtas Internacionais)
Direção: Liad Hussein Kantorowicz
A realizadora Liad, defensora dos direitos humanos e dominatrix, reeduca seus muito obedientes escravos de direita para que sejam capazes de entender ideias como liberdade, justiça social e democracia direta. Para tanto, usa práticas (todas consensuais) como humilhação, adestramento e administração da dor. É dia de eleição em Israel.

BR_RIP (2018 | 11′ | SP | DCP | Premiere Mundial)
Direção: Carlos Eduardo Nogueira
Em algum lugar ao sul, uma monstruosa barata e uma heroína gigante travam uma batalha mortal.

18h30
MOSTRA COMPETITIVA DE LONGAS-METRAGENS
O Homem Que Surpreendeu Todo Mundo / The Man Who Surprised Everyone / Chelovek, Kotoryy Udivil Vsekh (2018 | 105′ | Rússia | Premiere Sul-Americana | DCP)
Direção: Natasha Merkulova e Aleksey Chupov
Um guarda florestal da Sibéria assume a sua identidade de gênero e um novo padrão de comportamento como forma de enfrentar a sua própria mortalidade. Uma fábula política num vilarejo e numa floresta, muito indicada para tempos difíceis.

21h
MOSTRA COMPETITIVA DE LONGAS-METRAGENS + MOSTRA COMPETITIVA DE CURTAS BRASILEIROS

Quantos Eram Pra Tá? (2018 | 29′ | SP | DCP | Premiere Mundial)
Direção: Vinícius Silva
A vida de três jovens negros estudantes da USP. Dandara, aluna de Ciências Sociais, Luiz, de Teatro, e Vinícius, de Cinema, com suas diferenças, encontram um ao outro como refúgio.

Temporada (2018 | 113′ | Brasil | DCP)
Direção: André Novais Oliveira
Juliana (vivida pela incrível Grace Passô) chega do interior à periferia de Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte. Aguarda o marido, que está prestes a vir ao seu encontro. Recém-empregada pela prefeitura, visita as residências da região para combater endemias, faz amizades. Entre o trabalho, as casas, as ruas e a saudade, esta é uma história contada com raro carinho, feita da crença na vizinhança entre pessoas e vidas.
* Melhor Filme no Festival de Brasília 2018

7/11 CINEMA DA FUNDAÇÃO JOAQUIM NABUCO – DERBY

16h
CURTAS Internacional 1: FECHE OS OLHOS. ABRA OS OLHOS, 85′

Minha Visão Expandida / My Expanded View (2018 | 7′ | EUA | DCP)
Direção: Corey Hughes
Um tutorial de ioga de YouTube. Um corpo em colapso. Uma visão expandida.

Palenque (2017 | 27′ | Colômbia | DCP)
Direção: Sebastián Pinzón Silva
Guiado pelos temas da vida e da morte, esta é uma ode a uma pequena vila que muito contribuiu para a memória coletiva da Colômbia: San Basilio de Palenque, o primeiro município nas Américas a se libertar da dominação europeia.

Tela / Screen (2018 | 18′ | Alemanha | DCP)
Direção: Matthias Müller e Christoph Girardet
Zonas limiares. Partículas flutuantes. Fogo, água, terra, ar. Vozes de personagens fictícias: às vezes sugestivas, às vezes rigorosas, levando o espectador para longe do aqui e agora. Quem está falando? A relação entre o sujeito hipnotizado e o hipnotista é espelhada naquela do espectador com a tela.

Pulando um Dia / Skip Day (2018 | 17′ | EUA | DCP)
Direção: Ivete Lucas e Patrick Bresnan
Passagens íntimas de um dia muito especial nas vidas de um grupo de alunos de ensino médio em uma região industrial nos Everglades, Flórida: o baile de formatura passou, o futuro é incerto e o irresistível aceno da praia faz estes grandes amigos dirigirem 100km para curtirem, darem um rolê e se deixarem tomar pelas ondas.

Seguir Adiante Sem Perdas / Onward Lossless Follows (2017 | 17′ | EUA | DCP)
Direção: Michael Robinson
Um caso de amor protegido por senha, uma discreta bruma em Vênus e um cavalo sem nome partem em busca de um mundo melhor. Contra a escuridão que se anuncia, uma abdução voluntária para que se tente um amanhã.

18h15
Longa Jornada Noite Adentro / Long Day’s Journey Into Night / Di Qiu Zui Hou De Ye Wan (2018 | 133′ | China | DCP | 3D)
Direção: Bi Gan
Luo Hongwu retorna a Kaili, cidade natal de onde havia fugido há vários anos, para investigar os passos de uma antiga amante nunca esquecida. O segundo longa de Bi Gan, que teve seu Kaili Blues exibido no Janela, é um apaixonado acontecimento de cinema, um fluxo noturno de imaginação, delírio e virtuosismo com exibição em 3D.
* Seleção Un Certain Regard, Cannes 2018

8/11 CINEMA SÃO LUIZ

13h30
Reprise CURTAS Internacional 1: FECHE OS OLHOS. ABRA OS OLHOS, 85′

Minha Visão Expandida / My Expanded View (2018 | 7′ | EUA | DCP)
Direção: Corey Hughes
Um tutorial de ioga de YouTube. Um corpo em colapso. Uma visão expandida.

Palenque (2017 | 27′ | Colômbia | DCP)
Direção: Sebastián Pinzón Silva
Guiado pelos temas da vida e da morte, esta é uma ode a uma pequena vila que muito contribuiu para a memória coletiva da Colômbia: San Basilio de Palenque, o primeiro município nas Américas a se libertar da dominação europeia.

Tela / Screen (2018 | 18′ | Alemanha | DCP)
Direção: Matthias Müller e Christoph Girardet
Zonas limiares. Partículas flutuantes. Fogo, água, terra, ar. Vozes de personagens fictícias: às vezes sugestivas, às vezes rigorosas, levando o espectador para longe do aqui e agora. Quem está falando? A relação entre o sujeito hipnotizado e o hipnotista é espelhada naquela do espectador com a tela.

Pulando um Dia / Skip Day (2018 | 17′ | EUA | DCP)
Direção: Ivete Lucas e Patrick Bresnan
Passagens íntimas de um dia muito especial nas vidas de um grupo de alunos de ensino médio em uma região industrial nos Everglades, Flórida: o baile de formatura passou, o futuro é incerto e o irresistível aceno da praia faz estes grandes amigos dirigirem 100km para curtirem, darem um rolê e se deixarem tomar pelas ondas.

Seguir Adiante Sem Perdas / Onward Lossless Follows (2017 | 17′ | EUA | DCP)
Direção: Michael Robinson
Um caso de amor protegido por senha, uma discreta bruma em Vênus e um cavalo sem nome partem em busca de um mundo melhor. Contra a escuridão que se anuncia, uma abdução voluntária para que se tente um amanhã.

15h10
COMP LONGAS: Tradução Nervosa / Nervous Translation (2017 | 90′ | Filipinas | DCP)
Direção: Shireen Seno
Manila, final dos anos 1980, nos desdobramentos da Revolução do Poder Popular filipina. Entre fitas cassete de música pop e exercícios de inglês, a garota Yael descobre uma caneta que pode traduzir sentimentos nervosos, quem sabe para lidar com o contraditório mundo dos adultos.

17h
CURTAS Brasil 1: DEPOIS DA DERROTA, 85′ + debate

Bup (2018 | 7′ | PE | DCP)
Direção: Dandara de Morais
Um tributo ao silêncio. Olá, ansiedade! Bup é a ausência do silêncio. Uma tragicomédia em ritmo frenético sobre a presença da angústia, incômoda insegurança e constante inquietude. Que pena que saí do útero.

Conte Isso Àqueles que Dizem que Fomos Derrotados (2018 |23′ | PE/MG | DCP)
Direção: Aiano Bemfica, Camila Bastos, Cris Araújo e Pedro Maia de Brito
As luzes apontam um caminho.

Mesmo Com Tanta Agonia (2018 | 20′ | SP | DCP)
Direção: Alice Andrade Drummond
É aniversário da filha de Maria. No trajeto do trabalho para a festa, ela fica presa no trem, em função de uma pessoa caída acidentalmente sob os trilhos.

Cartuchos de Super Nintendo em Anéis de Saturno (2018 | 19′ | CE | DCP)
Direção: Leon Reis
Diante da dor, solidão e desespero, um homem negro assopra um cartucho de Super Nintendo em uma encruzilhada.

Plano Controle (2018 | 16′ | MG | DCP)
Direção: Juliana Antunes
Marcela quer conhecer o mundo, mas o serviço de teletransporte oferecido por sua operadora tem dados limitados.

19h10
ESPECIAL: Assunto de Família (2018 | 121′ | Japão | DCP)
Direção: Hirokazu Kore-eda
Esse filme de Koreeda, vencedor da Palma de Ouro em Cannes no último mês de maio, nos apresenta questão de sempre: o que é uma família? Quais os laços de amor que unem uma família e como a sociedade precisa lidar com os muitos tipos de família que existem nas pessoas?

21h30
COMP LONGAS: Inferninho, 82′ (2018 | 82′ | Brasil | DCP) + debate
Direção: Guto Parente e Pedro Diógenes
Deusimar é a dona do bar Inferninho, refúgio de sonhos e fantasias. Ela sonha em deixar tudo para trás e ir embora, pra um lugar distante. Jarbas, o marinheiro que acabara de chegar, sonha em ancorar, fincar raízes. Habitado por criaturas incríveis, este mundo abriga um conto de fadas agridoce, à espreita daquilo que o amor pode mudar.

8/11 CINEMA DA FUNDAÇÃO JOAQUIM NABUCO – DERBY

14h
Reprise COMP Brasil: Quantos Eram Pra Tá?, 29′ + COMP LONGAS: Temporada, 113′ + debate

Quantos Eram Pra Tá? (2018 | 29′ | Brasil | DCP | Premiere Mundial)
Direção: Vinícius Silva
A vida de três jovens negros estudantes da USP. Dandara, aluna de Ciências Sociais, Luiz, de Teatro, e Vinícius, de Cinema, com suas diferenças, encontram um ao outro como refúgio.

Temporada (2018 | 113′ | Brasil | DCP)
Direção: André Novais Oliveira
Juliana (vivida pela incrível Grace Passô) chega do interior à periferia de Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte. Aguarda o marido, que está prestes a vir ao seu encontro. Recém-empregada pela prefeitura, visita as residências da região para combater endemias, faz amizades. Entre o trabalho, as casas, as ruas e a saudade, esta é uma história contada com raro carinho, feita da crença na vizinhança entre pessoas e vidas.
* Melhor Filme no Festival de Brasília 2018

17h
CURTAS Internacional 1: ELE NÃO, 86′

Os Homens Atrás do Muro / The Men Behind The Wall (2018 | 28′ | Israel | DCP)
Direção: Ines Moldavsky
Tinder. Mulher procura homens. Homem procura mulheres. Tudo poderia ser tão simples se ela não estivesse em Israel e os caras mais próximos não estivessem na Cisjordânia. Ela se propõe a ultrapassar limites.

Eu Assinei a Petição / I Signed the Petition (2018 | 10′ | Reino Unido/Alemanha/Suíça | DCP)
Direção: Mahdi Fleifel
Imediatamente após um palestino assinar uma petição online, ele questiona a si mesmo e fica à beira de um ataque de pânico. Ao longo de uma conversa com um compreensivo amigo, ele analisa, desconstrói e interpreta o sentido de sua escolha em apoiar publicamente o boicote a Israel.

Kaniama Show (2018 | 23′ | Congo/Bélgica | DCP)
Direção: BALOJI
Kaniama Show é uma sátira da TV nacional em um país da África, espalhando sua propaganda de soft power entre entrevistas complacentes e interlúdios musicais.

Democracia Aqui Não / No Democracy Here (2018 | 25′ | Alemanha/Palestina/Israel | DCP)
Direção: Liad Hussein Kantorowicz
A realizadora Liad, defensora dos direitos humanos e dominatrix, reeduca seus muito obedientes escravos de direita para que sejam capazes de entender ideias como liberdade, justiça social e democracia direta. Para tanto, usa práticas (todas consensuais) como humilhação, adestramento e administração da dor. É dia de eleição em Israel.

18h40
ESPECIAL: Bloqueio (2018 | 75′ | Brasil | DCP) + debate
Direção: Victória Álvares e Quentin Delaroche
Maio de 2018. A cinco meses da eleição presidencial brasileira, o país está mergulhado em uma crise política e econômica. Nesta atmosfera de tensão social, caminhoneiros decidem fazer uma paralisação em busca de melhores condições de trabalho. Em meio às reivindicações da classe de trabalhadores, surgem cada vez mais vozes pedindo uma intervenção militar.

20h40
ESPECIAL: Diamantino (2018 | 96′ | Portugal/França/Brasil | DCP)
Direção: Gabriel Abrantes e Daniel Schmidt
Diamantino é uma estrela do futebol mundial, até que, de repente, perde todo o seu talento e se aposenta como um fracasso aos olhos da opinião pública. A partir disso, o ex-craque passa a procurar um novo propósito para a sua vida. Inicialmente ele resolve confrontar o neo-fascismo, em seguida se envolve com a crise dos refugiados, chegando na questão da modificação genética até a busca pela origem do genial.

9/11 CINEMA SÃO LUIZ

14h
Reprise CURTAS Internacional 1: ELE NÃO, 86′

Os Homens Atrás do Muro / The Men Behind The Wall (2018 | 28′ | Israel | DCP)
Direção: Ines Moldavsky
Tinder. Mulher procura homens. Homem procura mulheres. Tudo poderia ser tão simples se ela não estivesse em Israel e os caras mais próximos não estivessem na Cisjordânia. Ela se propõe a ultrapassar limites.

Eu Assinei a Petição / I Signed the Petition (2018 | 10′ | Reino Unido/Alemanha/Suíça | DCP)
Direção: Mahdi Fleifel
Imediatamente após um palestino assinar uma petição online, ele questiona a si mesmo e fica à beira de um ataque de pânico. Ao longo de uma conversa com um compreensivo amigo, ele analisa, desconstrói e interpreta o sentido de sua escolha em apoiar publicamente o boicote a Israel.

Kaniama Show (2018 | 23′ | Congo/Bélgica | DCP)
Direção: BALOJI
Kaniama Show é uma sátira da TV nacional em um país da África, espalhando sua propaganda de soft power entre entrevistas complacentes e interlúdios musicais.

Democracia Aqui Não / No Democracy Here (2018 | 25′ | Alemanha/Palestina/Israel | DCP)
Direção: Liad Hussein Kantorowicz
A realizadora Liad, defensora dos direitos humanos e dominatrix, reeduca seus muito obedientes escravos de direita para que sejam capazes de entender ideias como liberdade, justiça social e democracia direta. Para tanto, usa práticas (todas consensuais) como humilhação, adestramento e administração da dor. É dia de eleição em Israel.

15h50
CURTAS Brasil 2: PROTEJA SEUS AMIGOS, 84′ + debate

NoirBlue (2018 | 26′ | MG/França | DCP)
Direção: Ana Pi
NoirBlue abre espaço para a ficção e uma navegação atlântica de alguns corpos periféricos. Este exercício interroga a presença e a ausência, discursos e tempos para produzir uma dança extemporânea sob duas diferentes cores: a pretitude da pele e o pigmento azul ultramarino.

Inconfissões (2018 | 21′ | RJ | DCP)
Direção: Ana Galizia
Luiz Roberto Galizia foi uma figura importante para a cena teatral nas décadas de 1970 e 1980. Foi, também, um tio que não conheci. Este documentário procura um resgate do vivido, a partir do registro feito em fotografias e filmes super 8 pelo tio Luiz e encontrado por mim 30 anos depois da sua morte.

BR3 (2018 | 23′ | RJ | DCP)
Direção: Bruno Ribeiro
Kastelany chega na casa da Luciana. Mia se prepara para sair à noite com suas amigas. Dandara transa com Johi pela primeira vez.

Retirada Para Um Coração Bruto (2018 | 14′ | MG | DCP)
Direção: Marco Antônio Pereira
Ozório é um senhor que vive sozinho onde o Judas perdeu as botas, na zona rural de Cordisburgo-MG. Passa seus dias ouvindo rock no rádio, enquanto vive o luto da sua companheira. Até que um movimento no céu quebra sua solidão.

18h
ESPECIAL: Domingo (2018 | 94′ | Brasil | DCP) + debate
Direção: Clara Linhart e Fellipe Barbosa
​Sábado, 1º de janeiro de 2003. Enquanto Brasília celebra a posse do Presidente Luiz Inácio Lula da Silva, duas famílias do interior gaúcho se reúnem em uma velha mansão rural para um churrasco regado a champanhe, segredos, anseios e frustrações familiares.

20h25
COMP LONGAS: Vermelho Sol / Rojo (2018 | 109′ | Argentina/Brasil | DCP)
Direção: Benjamin Naishtat
O advogado Dario (Dario Grandinetti) se vê envolvido em investigação no ambiente de desaparecimentos políticos e paranóia geral na Argentina da década de 1970. Benjamin Naishtat retorna à iminência da ditadura latinoamericana com as cores morais de um vermelho noir.

22h40
CLÁSSICOS: A Morte do Demônio / The Evil Dead, 85′ + ESPECIAL: BR_RIP, 11′

BR_RIP (2018 | 11′ | Brasil | DCP | Premiere Mundial)
Direção: Carlos Eduardo Nogueira
Em algum lugar ao sul, uma monstruosa barata e uma heroína gigante travam uma batalha mortal.

A Morte do Demônio / The Evil Dead (1981 | 85′ | Estados Unidos | DCP)
Direção: Sam Raimi
Rodado em 16mm por um grupo de amigos (entre eles dois muito jovens Irmãos Coen), o filme de Sam Raimi faz parte da lenda do Cinema Independente. Cruel, engraçado, absurdo, não apenas pelo que vemos na tela mas pela temperatura da câmera e da montagem, The Evil Dead é a história de cinco estudantes da Universidade de Michigan que decidem passar um final de semana numa cabana isolada. Que péssima idéia, especialmente quando o lugar tem um tal de “Livro dos Mortos”… Possessão grotesca, mutilações absurdas, sessão de cinema fantástica.

9/11 CINEMA DA FUNDAÇÃO JOAQUIM NABUCO – DERBY

14h
Reprise CURTAS Brasil 1: DEPOIS DA DERROTA, 85′ + debate

Bup (2018 | 7′ | PE | DCP)
Direção: Dandara de Morais
Um tributo ao silêncio. Olá, ansiedade! Bup é a ausência do silêncio. Uma tragicomédia em ritmo frenético sobre a presença da angústia, incômoda insegurança e constante inquietude. Que pena que saí do útero.

Conte Isso Àqueles que Dizem que Fomos Derrotados (2018 |23′ | PE/MG | DCP)
Direção: Aiano Bemfica, Camila Bastos, Cris Araújo e Pedro Maia de Brito
As luzes apontam um caminho.

Mesmo Com Tanta Agonia (2018 | 20′ | SP | DCP)
Direção: Alice Andrade Drummond
É aniversário da filha de Maria. No trajeto do trabalho para a festa, ela fica presa no trem, em função de uma pessoa caída acidentalmente sob os trilhos.

Cartuchos de Super Nintendo em Anéis de Saturno (2018 | 19′ | CE | DCP)
Direção: Leon Reis
Diante da dor, solidão e desespero, um homem negro assopra um cartucho de Super Nintendo em uma encruzilhada.

Plano Controle (2018 | 16′ | MG | DCP)
Direção: Juliana Antunes
Marcela quer conhecer o mundo, mas o serviço de teletransporte oferecido por sua operadora tem dados limitados.

16h
Reprise COMP LONGAS: Inferninho (2018 | 82′ | Brasil | DCP) + debate
Direção: Guto Parente e Pedro Diógenes
Deusimar é a dona do bar Inferninho, refúgio de sonhos e fantasias. Ela sonha em deixar tudo para trás e ir embora, pra um lugar distante. Jarbas, o marinheiro que acabara de chegar, sonha em ancorar, fincar raízes. Habitado por criaturas incríveis, este mundo abriga um conto de fadas agridoce, à espreita daquilo que o amor pode mudar.

17h40
TOMADA ÚNICA, 45′
Seleção de 13 filmes exibidos ao longo dos 10 anos da categoria Tomada Única no Curta 8 – Festival Internacional de Cinema de Super 8 de Curitiba, feita pelo curador Antônio Carlos Domingues e em sessão apresentada por ele.

CRU – Fábio Allon (2009) – A INFÂNCIA DE MARGOT – Bruno Oliveira (2009) – IAIA ET LENI – Eugenia Castello (2011) – FESTA NO APARTAMENTO DA SUZANA – Christopher – Faust (2011) – LÚCIDO/TRANS-LÚCIDO – Maurício Ramos Marques (2012) – RUÍNA – Vitor Sawaf (2016) – O CORTE – Alberto Eisenring (2016)

18h40
ESPECIAL: Los Silencios (2018 | 89′ | Brasil/França/Colômbia | DCP)
Direção: Beatriz Seigner
​Núria, Fábio e a mãe dos dois, Amparo, chegam a uma pequena ilha no meio da Amazônia, fugindo do conflito armado onde o pai da família desapareceu. Certo dia, ele ressurge na nova casa. A família é assombrada por esse estranho acontecimento e descobre que o lugar é povoado por fantasmas.​

20h30
BRASIL DISTÓPICO VOL. 1: Brasília, Capital do Século, 11′ + Amor e Desamor, 77′

Brasília, Capital do Século (1959 | 11′ | Brasil | DCP)
Direção: Gerson Tavares
A construção do sonho Brasília é despistada em cenas preciosas que antecederam a inauguração da cidade, filmadas como algo sombrio. Que será do futuro destes prédios e monumentos? Que será do futuro destes operários? Cópia restaurada.

Amor e Desamor (1966 | 77′ | Brasil | DCP)
Direção: Gerson Tavares
Homem e mulher se encontram por acaso. O jogo erótico entre os dois, tão primitivo quanto refinado, é contaminado pelas paisagens futuristas de Brasília. Primeiro longa brasileiro de ficção filmado na nova capital, tendo a crise existencial de um arquiteto no centro do enredo. Cópia restaurada.

10/11 CINEMA SÃO LUIZ

11h
CLÁSSICOS: Oponentes Invisíveis / Unsichtbare Gegner / Invisible Adversaries (1977 | 112′ | Áustria | DCP)
Direção: VALIE EXPORT
A fotógrafa Anna está convencida de que os Hyksos, força alienígena, estão invadindo os corpos humanos e gerando um estado de violência internacional. VALIE EXPORT, realizadora e protagonista, corre pelas ruas de Viena neste raro e proeminente arquivo do chamado acionismo feminista, que põe o cinema em vívida relação com a performance, o surrealismo e o cinema de vanguarda. VALIE/Anna se assombra com os jornais, tem uma série de DRs sobre amor e política com o boy lixo, faz terapia, leva sua câmera para todo lado, vai da narração ao comentário, para descambar num instigado delírio, entre o dada e o queer, a desarranjar identidade, verdade, hegemonia e polícia. Talvez tenha algo a dialogar com recentes produções brasileiras periféricas e insurgentes.

14h30
BRASIL DISTÓPICO VOL. 1: Conversas no Maranhão (1983 | 117’| Brasil | DCP)
Direção: Andrea Tonacci
Realizado entre os anos de 1977 e 1983, este filme fundamental nasceu do contato do diretor e fotógrafo Andrea Tonacci com os índios Canela Apãniekra nos anos 1970, tornando-se um manifesto pela demarcação de terras em imagens raras de aproximação e diálogo. Cópia restaurada.

16h45
Reprise COMP LONGAS: Kinshasa Makambo, 75′ + ESPECIAL: Liberdade, 25′

Liberdade (2018 | 25′ | SP | DCP)
Direção: Pedro Nishi e Vinícius Silva
Abou é um artista guineense que vive com outros imigrantes africanos em uma pensão no bairro da Liberdade em São Paulo. Entre eles, vive Satsuke, uma mulher japonesa misteriosa que parece estar na casa a muitas décadas. Sow, um jovem guineense, está tentando chegar na casa para começar uma vida no Brasil, mas fica preso na imigração no aeroporto. Vidas estrangeiras habitam o bairro da Liberdade, um lugar de passado sombrio.

Kinshasa Makambo (2018 | 75′ | República do Congo | DCP)
Direção: Dieudo Hamadi
Christian, um jovem ativista da oposição, Jean-Marie, recém-saído da prisão, e Ben, de volta de um exílio em Nova York, se reúnem em Kinshasa, capital congolesa, contra a perpetuação do poder do presidente Joseph Kabila. Poucos filmes recentes filmaram cenas tão fortes de resistência. Temos o que aprender.

18h50
CLÁSSICOS: Central do Brasil (1998 | 115′ | Brasil | DCP) + debate com Vinicius de Oliveira
Direção: Walter Salles
O Cinema Brasileiro não tem o costume de cuidar e celebrar os seus clássicos. Central do Brasil, aos 20 anos, é claramente um, o melodrama poderoso de Walter Salles sobre a geografia do país, as relações de aspereza e delicadeza, a transmissão de informação através de palavras escritas. Nesses 20 anos, cartas perderam seu papel no mundo moderno, e hoje o Whatsapp e as redes sociais trazem informações, segredos e mentiras. Fernanda Montenegro e Vinicius de Oliveira em papéis que tornaram-se ícones do Cinema, no Brasil e no exterior. O final desse filme é arrebatador como Cinema de Lágrimas.

21h30
ESPECIAL: Azougue Nazaré (2018 | 82′ | Brasil | DCP) + debate
Direção: Tiago Melo
O casal formado por Catita e Irmã Darlene vive em uma casa isolada, em meio a imenso canavial. Ele participa escondido do Maracatu, combatido como coisa do demônio pelo pastor Barachinha, líder da igreja frequentada pela fiel Darlene. Também no canavial, um pai de santo pratica um ritual religioso com cinco caboclos, que incorporam entidades e desaparecem. A cidade de Nazaré da Mata testemunha esses acontecimentos misteriosos.​

10/11 CINEMA DA FUNDAÇÃO JOAQUIM NABUCO – DERBY

10h
Aula de Cinema com Anna Muylaert
Anna Muylaert, grande realizadora e roteirista (Durval Discos e Que Horas ela Volta?…) convida cinéfilos, realizadores e roteiristas para a leitura do seu próximo roteiro, com a participação dos atores Fábio Leal e Maeve Jinkings. A leitura de um roteiro de cinema antecede a existência de um filme e é uma oportunidade única de compartilhar e testar ideias para o novo projeto.

14h45
Reprise COMP LONGAS: Tradução Nervosa / Nervous Translation (2017 | 90′ | Filipinas | DCP)
Direção: Shireen Seno
Manila, final dos anos 1980, nos desdobramentos da Revolução do Poder Popular filipina. Entre fitas cassete de música pop e exercícios de inglês, a garota Yael descobre uma caneta que pode traduzir sentimentos nervosos, quem sabe para lidar com o contraditório mundo dos adultos.

16h30
ESPECIAL: Imagem e Palavra (2018 | 84′ | França | DCP)
Direção: Jean-Luc Godard
Você ainda se lembra de como, há muito tempo, treinamos nossos pensamentos? Na maioria das vezes começamos a partir de um sonho. Nos perguntamos como, na escuridão, cores de tal intensidade poderiam emergir dentro de nós. Imagem e palavras como um sonho ruim escrito em uma noite tempestuosa, sob olhos ocidentais. Paraísos perdidos: a guerra está aqui.

18h20
TOCA O TERROR: Morto Não Fala (2018 | 110′ | Brasil | DCP)
Direção: Dennison Ramalho
​Stênio é plantonista noturno no necrotério de uma grande e violenta cidade. Em suas madrugadas de trabalho, ele nunca está só, pois possui um dom paranormal de comunicação com os mortos. Quando as confidências que ouve do além revelam segredos de sua própria vida, Stênio desencadeia uma maldição que traz perigo e morte para perto de si e de sua família. O Cineclube Toca o Terror apresenta o filme.

20h40
Reprise CLÁSSICOS: A Morte do Demônio (1981 | 85′ | Estados Unidos | DCP)
Direção: Sam Raimi
Rodado em 16mm por um grupo de amigos (entre eles dois muito jovens Irmãos Coen), o filme de Sam Raimi faz parte da lenda do Cinema Independente. Cruel, engraçado, absurdo, não apenas pelo que vemos na tela mas pela temperatura da câmera e da montagem, The Evil Dead é a história de cinco estudantes da Universidade de Michigan que decidem passar um final de semana numa cabana isolada. Que péssima idéia, especialmente quando o lugar tem um tal de “Livro dos Mortos”… Possessão grotesca, mutilações absurdas, sessão de cinema fantástica.

11/11 CINEMA SÃO LUIZ

11h
CLÁSSICOS: A Ascensão (1981 |111′ | Uniao Soviética | DCP)
Direção: Larisa Shepitko
Urso de Ouro em Berlim em 1977, o filme de Larissa Sheptiko (companheira de Elem Klimov, de Vá e Veja, que o Janela projetou ano passado) é outra obra-prima do Cinema que também desagradou as autoridades soviéticas. No inverno gelado da Segunda Guerra Mundial, dois guerrilheiros pró-soviéticos – Sotnikov e Rybak – partem em busca de comida para seus compatriotas quando são pegos por uma patrulha de invasores nazistas. Os dois irão usar suas formações pessoais e religiosas para lidar com a violência da guerra. Fotografia preto e branco impressionante. Apresentado no São Luiz em cópia restaurada 2K lançada esse ano pela Mosfilm.

14h30
ESPECIAL CURTAS: 1 + 1 = 2, 49′

Guaxuma (2018 | 14′ | PE | DCP)
Direção: Nara Normande
Eu e Tayra crescemos juntas na praia de Guaxuma. A gente era inseparável. O sopro do mar me traz boas lembranças.

Caçador (2017 | 20′ | PE | DCP)
Direção: Leonardo Sette
Após um vôo de monomotor sobre a floresta, Nakuá se sente mal ao chegar na aldeia para a qual está se mudando. Sem entender direito o que está sentindo, solitário, Nakuá se consulta com Dr. Bruno e se apresenta como caçador.

Reforma (2018 | 15′ | PE | DCP)
Direção: Fábio Leal
Saindo com um rapaz diferente a cada dia, Francisco revela à amiga Flávia que está insatisfeito com seu corpo gordo. Ela o ouve, mas tem dificuldade para entender a dimensão do problema do amigo.

16h
CLÁSSICOS: Pixote, a Lei do Mais Fraco (1980 |127’ | Brasil| DCP)
Direção: Hector Babenco
Grande filme da história do Cinema brasileiro, Pixote levou três milhões de espectadores aos cinemas em 1980-81 e foi visto em todo o mundo. É um retrato humanista do menor abandonado no Brasil, as escolas de crime e a brutalidade que gera mais violência. O filme de Hector Babenco apresenta um quadro social complexo, e acreditamos que esse filme poderoso restaurado na Cinemateca de Bolonha deve ser revisto num momento político onde a violência é apresentada como solução fácil para questões difíceis na nossa sociedade. Para além do filme, Fernando Ramos da Silva, que interpretou Pixote, foi morto pela polícia em São Paulo, já como um pai de familia adolescente, em 1987. Uma das grandes sessões de Cinema do Janela esse ano.

18h30
ESPECIAL: Futebol Infinito / Infinite Football / Fotbal Infinit (2018 |70’ | Romênia | DCP)
Direção: Corneliu Porumboiu
Para Laurenti Ginghina, o futebol precisa mudar, se libertar de suas amarras; cantos têm que ser arredondados, zonas designadas para jogadores, regras revisadas. Em retrospecto, ele entendeu que as regras estavam erradas quando fraturou a fíbula em um jogo ainda novo. Agora um burocrata, prefere conversar com Porumboiu, seu amigo e cineasta. Todos os caminhos levam ao futebol, mas também para longe dele – para posse de terra, fazendas de laranja na Flórida, utopia política e os vestígios deixados pela vida – até o infinito.

20h
CLÁSSICOS: Asas do Desejo (1988 |130′ | Alemanha | DCP 4K)
Direção: Wim Wenders
Uma meditação sobre viver a vida e o amor a partir do ponto de vista de uma dupla de anjos (Daniel e Cassiel) que observa e tenta inspirar os que vivem no plano material. É um filme sobre a personalidade das cidades (na imagem de uma Berlim ainda dividida) e um registro valioso sobre a história e a arqueologia dos lugares e do próprio Cinema. Essa restauração em 4K que estreou em Berlim no início do ano marca os 30 anos do filme de Wenders e oferece um transe incomum na sala de Cinema a toda uma nova geração que talvez tenha apenas ouvido falar desse encanto. Ou quem sabe, nem suspeite da sua existência angelical. É a nossa sessão de encerramento do Janela 2018 no São Luiz, com o desejo de dias melhores no Brasil e no mundo.

11/11 CINEMA DO MUSEU – CASA FORTE

14h
Reprise CURTAS Brasil 2: PROTEJA SEUS AMIGOS, 84′

NoirBlue (2018 | 26′ | MG/França | DCP)
Direção: Ana Pi
NoirBlue abre espaço para a ficção e uma navegação atlântica de alguns corpos periféricos. Este exercício interroga a presença e a ausência, discursos e tempos para produzir uma dança extemporânea sob duas diferentes cores: a pretitude da pele e o pigmento azul ultramarino.

Inconfissões (2018 | 21′ | RJ | DCP)
Direção: Ana Galizia
Luiz Roberto Galizia foi uma figura importante para a cena teatral nas décadas de 1970 e 1980. Foi, também, um tio que não conheci. Este documentário procura um resgate do vivido, a partir do registro feito em fotografias e filmes super 8 pelo tio Luiz e encontrado por mim 30 anos depois da sua morte.

BR3 (2018 | 23′ | RJ | DCP)
Direção: Bruno Ribeiro
Kastelany chega na casa da Luciana. Mia se prepara para sair à noite com suas amigas. Dandara transa com Johi pela primeira vez.

Retirada Para Um Coração Bruto (2018 | 14′ | MG | DCP)
Direção: Marco Antônio Pereira
Ozório é um senhor que vive sozinho onde o Judas perdeu as botas, na zona rural de Cordisburgo-MG. Passa seus dias ouvindo rock no rádio, enquanto vive o luto da sua companheira. Até que um movimento no céu quebra sua solidão.

15h40
ESPECIAL: Verão (2018 | 120′ | Rússia | DCP)
Direção: Kirill Serebrennikov
​Leningrado no verão, começo dos anos 80. Abastecida pelo contrabando de LPs de Lou Reed e David Bowie, a cena local de rock underground fervia antes da abertura promovida pela Perestroika. Nesse contexto, Mike, sua bela mulher Natasha e o jovem Viktor Tsoï vão transformar os rumos da música na União Soviética. Um triângulo amoroso, formado por indivíduos bem diferentes, em ambiente hostil tanto ao rock quanto à cultura ocidental, termina, apesar disso tudo, tornando-se o ponto de partida para uma nova onda do rock russo.​

18h
COMP LONGAS: Kinshasa Makambo (2018 | 75′ | República do Congo | DCP)
Direção: Dieudo Hamadi
Christian, um jovem ativista da oposição, Jean-Marie, recém-saído da prisão, e Ben, de volta de um exílio em Nova York, se reúnem em Kinshasa, na capital congolesa, contra a perpetuação do poder do presidente Joseph Kabila. Poucos filmes recentes filmaram cenas tão fortes de resistência. Temos o que aprender.

19h40
Reprise COMP LONGAS: O Homem Que Surpreendeu Todo Mundo / The Man Who Surprised Everyone / Chelovek, Kotoryy Udivil Vsekh (2018 | 105′ | Rússia | Premiere Sul-Americana | DCP)
Direção: Natasha Merkulova e Aleksey Chupov
Um guarda florestal da Sibéria assume a sua identidade de gênero e um novo padrão de comportamento como forma de enfrentar a sua própria mortalidade. Uma fábula política num vilarejo e numa floresta, muito indicada para tempos difíceis.

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui