Eu Sou Mais Eu | Crítica

Filme com Kéfera Buchmann e João Côrtes valoriza a amizade acima da popularidade.

Leia também:

‘Projeto Gemini’ e ‘Morto Não Fala’ são as estreias da semana nos cinemas

As estreias desta semana nos cinemas trazem filmes para todos os gostos. "Projeto Gemini", o ousado filme do cineasta...

Cinema da UFPE é a nova opção para os cinéfilos pernambucanos

O Cinema da UFPE, nova sala de exibição no Recife, será inaugurado nesta quarta-feira (09). O evento acontece às...

Sem apoio de editais, Janela de Cinema recorre ao público para acontecer

Um dos maiores festivais de cinema de Pernambuco, o Janela Internacional de Cinema do Recife recorre neste ano ao...
Paulo Cavalcante
Paulo Cavalcantehttp://www.cafedeideias.com
Professor, atua na internet há mais de dez anos produzindo conteúdo sobre séries e cinema, aprecia a sétima arte e a dramaturgia para as diferentes telas.

Eu Sou Mais Eu (Foto: Catarina Sousa/Imagem Filmes)
Eu Sou Mais Eu (Foto: Catarina Sousa/Imagem Filmes)

A adolescência pode ser um dos melhores períodos da vida de uma pessoa, principalmente depois que se depara com os obstáculos da vida de adulto. Entretanto, nem todo passa incólume por questões que afloram nessa fase jovem. É o caso de Camila, interpretada Kéfera Buchmann em Eu Sou Mais Eu.

A personagem é uma cantora de sucesso, que atrai o público com sua música pop, apesar dos comentários negativos da imprensa. Contudo, sua adolescência foi conturbada. Voltar no tempo é a oportunidade perfeita para dar a volta por cima. Além disso, é chance de se vingar de quem infernizou a sua vida.

- Publicidade -

E o enredo do longa é basicamente este: Camila Mendes está prestes a lançar uma nova música, mas é surpreendida em casa pela visita de sua fã número 1. Ao tirar uma selfie com a fã, meio que obrigada, ela é levada de volta à adolescência, quando sofria bullying de praticamente todos no colégio.

No passado, Camila (Kéfera Buchmann) muda o visual (Foto: Catarina Sousa/Imagem Filmes)

Mas “Eu Sou Mais Eu” é mais do que um filme sobre uma popstar metida e arrogante. A trama adiciona Cabeça, interpretado por João Côrtes, na vida de Camila. Se no presente (ou futuro?) eles não são nada amigos, no passado eles são – até que algo atrapalhe essa amizade.

Elenco jovem se destaca em Eu Sou Mais Eu

Kéfera e João Côrtes dividem o protagonismo do filme, cada um com suas veias artísticas. A atriz vem mostrando evolução no seu trabalho, enquanto João Côrtes encara com a leveza de sempre mais um papel. A química entre os dois funciona e não é difícil sentir empatia pela amizade de Camila e Cabeça.

Camila volta no tempo e descobre amizade com Cabeça, personagens de Kéfera e João Côrtes, em "Eu Sou Mais Eu" (Reprodução/Paris Filmes)
Camila volta no tempo e descobre amizade com Cabeça, personagens de Kéfera e João Côrtes, em “Eu Sou Mais Eu” (Reprodução/Paris Filmes)

Outro destaque é Giovanna Lancellotti, que interpreta a vilã Drica. Ela surge na tela com três personalidades diferentes em momentos distintos do filme. Giovanna já é veterana no cinema e vem recebendo personagens notórios. Na TV, esteve recentemente na novela “Segundo Sol”. Já nas telonas, vive a experiência de atuar para o público jovem. Em 2018, viveu a divertida Babette em “Tudo Por um Popstar”.

Ignorando algumas breguices e clichês dos filmes nacionais voltados para o público jovem, Eu Sou Mais Eu se desenvolve com bastante naturalidade e diverte, surgindo como uma boa opção de filme para ver nos cinemas nestas férias.

- Publicidade -
- Relacionados -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

- Publicidade -

Últimos destaques:

A Grande Mentira | Crítica

Assistir Ian McKellen e Helen Mirren por uma hora e cinquenta minutos é sempre um prazer, mesmo quando o veículo não é lá...

Azougue Nazaré | Crítica

Uma terra com uma vasta variedade de culturas que culminam em diferentes religiões, o Brasil vem perdendo suas raízes com a ascensão do poderio...

As Panteras | Crítica

Hollywood fez mais uma vítima na sua não tão nova moda de reciclar franquias - a saudosa série As Panteras ("Charlie's Angels") ganhou uma...

Ford vs Ferrari | Crítica

A principal lição que se pode tirar do novo filme de James Mangold, é que não há nada que não fique 100% melhor com a...

Dora e a Cidade Perdida | Crítica

  A adaptação do desenho interativo Dora, a Aventureira, exibido no começo dos anos 2000 pelo canal Nickelodeon poderia ter seguido um caminho bem diferente e...
- Filmes recomendados -


More Articles Like This

- Publicidade -