O Sol Também é Uma Estrela | Crítica

Destino e coincidências são foco do novo filme de Ry Russo-Young.

O Sol Também é uma Estrela (Divulgação/Warner Bros.)
O Sol Também é uma Estrela (Divulgação/Warner Bros.)

Após se tornar sucesso de público e crítica figurando na lista dos mais vendidos do The New York Times por várias semanas, O Sol Também É Uma Estrela ganha sua adaptação para o cinema. A dinâmica entre a lógica e o pensamento científico de Natasha Kingsley interpretada por Yara Shahidi (Black-ish) e o poético Daniel Bae (Charles MeltonRiverdale) é inspirada no romance real da autora Jamaicana-Americana Nicola Yoon e seu marido Coreano-Americano, David.

Acompanhamos Natasha na luta para impedir a sua extradição e de toda a sua família de imigrantes, que está marcada para acontecer no dia seguinte. Tendo chegado à América do Norte ainda criança e agora nutrindo o sonho de ingressar em uma prestigiada faculdade, a garota tenta de todas as formas reverter a decisão do governo, mesmo que seus pais já tenham se resignado. É durante essa busca por um milagre que ela se depara com Daniel, garoto sonhador e romântico, que tentará convencê-la, durante o único dia que lhes resta, de que o encontro dos dois é obra do destino.

Daniel enfrenta seus próprios problemas, perdido entre fazer a vontade de sua família de imigrantes Coreanos e tornar-se médico, ou seguir sua vocação para a arte e a poesia. O relacionamento interracial causa algumas situações desconfortáveis com a família do garoto, que são relevadas em tom de humor. Dirigido por Ry Russo-Young (Antes Que Eu Vá), o longa faz uso de várias locações clássicas da cidade de Nova York, alternando entre os pontos de vista dos dois protagonistas.

O elenco, que também conta com o veterano John Leguizamo, se esforça para trabalhar com um roteiro mediano, que parece não ter sido bem adaptado a partir do livro de Yoon. Um tratamento menos genérico, superficial, e mais espontâneo e profundo dos temas abordados no longa sem dúvida beneficiaram a sua execução e trariam um resultado mais fluido. Ainda assim, O Sol Também É Uma Estrela é uma experiência agradável no cinema, e promete satisfazer seu público-alvo de adolescentes e jovens adultos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here